Leite/América do Sul – Nas duas últimas semanas, o clima mais seco melhorou o desenvolvimento e a qualidade dos grãos, oleaginosas e algodão na Argentina. Ao mesmo tempo, as chuvas ajudavam o milho ainda não maduro no Brasil.

Leite/América do Sul – Nas duas últimas semanas, o clima mais seco melhorou o desenvolvimento e a qualidade dos grãos, oleaginosas e algodão na Argentina. Ao mesmo tempo, as chuvas ajudavam o milho ainda não maduro no Brasil.

Com a safra de milho significativamente maior (safrinha) ocorrendo, principalmente no Brasil, diversos produtores de leite sul-americanos estão prevendo certo alívio no custo da alimentação.

No acumulado do ano, a produção de leite na região do Cone Sul, incluindo o Brasil, permaneceu abaixo dos volumes dos últimos dois anos. No entanto, no momento, a captação está tendo melhoras constantes, o que é comum nessa época do ano. Em termos de componentes do leite, o percentual de gordura está nos maiores níveis sazonais e a proteína continua melhorando. Os pedidos de leite fluido continuam intensos, pois, muitos varejistas estão refazendo os estoques. De um modo geral, a oferta de leite e creme está sendo menor do que o necessário para a produção de queijo, manteiga, iogurte e leite condensado. No entanto, a expectativa da indústria é de que os volumes de leite/creme continuarão subindo nos próximos dois trimestres, o suficiente para cobrir as necessidades das fábricas.

 

 

Veja também

Nunca se deve deixar os queijos abertos dentro do refrigerador porque as propriedades frias, porém secantes, destes aparelhos não são boas para o produto.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER