Segundo o relatório, a produção de leite no País deverá cair cerca de 5% neste ano, para 23,7 milhões de toneladas.
leite

O escritório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em Brasília estimou, em relatório, que a produção de leite no País deverá cair cerca de 5% neste ano, para 23,7 milhões de toneladas.

No documento, o USDA diz que para 2023, a projeção é de crescimento de 3,6%, para 24,5 milhões de toneladas. Em relação ao consumo, o órgão prevê recuo de 4% em 2022. Para 2023, no entanto, projeta alta de 3%.

Para produtos lácteos como queijo, leite em pó e manteiga, o USDA diz que a produção diminuiu em 2022 entre 1% e 5%, em razão, principalmente, dos elevados custos de produção, baixa disponibilidade de leite e redução da demanda do consumidor.

“Parte dessa queda na produção será recuperada em 2023, já que a disponibilidade de leite aumenta, enquanto a demanda do consumidor se expande”, disse o USDA.

O consumo desses produtos terá uma queda entre 3% a 6% em 2022, mas o USDA espera que se recupere em 2023. “O setor de lácteos brasileiro continuará enfrentando os desafios dos altos custos de produção em 2023, bem como condições climáticas e econômicas imprevisíveis”, acrescentou.

Veja também

O leite é parte integrante desse debate, próprio de nossa época, mas as descobertas científicas tornam cada vez mais evidentes o valor nutricional e os efeitos de seus ingredientes para a saúde.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Australia

Don’t cry for me Australia: como os laticínios da Austrália estão seguindo os passos da Argentina

O Brasil, em 2022, atingiu 885.000 toneladas métricas entre vários tipos de queijos tropicais e europeus.

Dados saborosos sobre o consumo e a produção de queijo em todo o mundo, que vão dar água na boca

Publicidade

Publicidade em tempos de crise: a estratégia que pode fazer a diferença entre o sucesso e a sobrevivência do seu negócio de laticínios

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER