Propriedade em Itirapina (SP) tem certificados inéditos de preservação ambiental e bem-estar animal; para sócio-fundador, fazenda é um feito inédito no mundo da pecuária leiteira
Guaraci Agropastoril tem outro tratamento
Guaraci Agropastoril tem outro tratamento Foto: Divulgação/Certified Humane Brasil

Cerca de 450 animais, entre bezerros e vacas leiteiras, instalados em 100 hectares no município de Itirapina (SP) a 200 quilômetros da capital paulista, recebem um tratamento incomum. Eles fazem parte de um modelo de produção de leite completamente diferente comparado ao da maioria dos rebanhos brasileiros.

Ali nenhum peão pode subir o tom com os animais: é proibido gritar ou assobiar no curral. Em períodos de calor extremo, as vacas em lactação tomam banho de aspersão três vezes por dia para se refrescar e contam com ventiladores na sala de ordenha. Carrapaticida, o produto químico usado para matar o parasita que suga o sangue do animal e é uma das principais causas de prejuízo na pecuária, não entra na fazenda. O combate é feito de forma biológica, por meio de um fungo que ataca o carrapato.

Veja também

O leite é parte integrante desse debate, próprio de nossa época, mas as descobertas científicas tornam cada vez mais evidentes o valor nutricional e os efeitos de seus ingredientes para a saúde.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Australia

Don’t cry for me Australia: como os laticínios da Austrália estão seguindo os passos da Argentina

O Brasil, em 2022, atingiu 885.000 toneladas métricas entre vários tipos de queijos tropicais e europeus.

Dados saborosos sobre o consumo e a produção de queijo em todo o mundo, que vão dar água na boca

Publicidade

Publicidade em tempos de crise: a estratégia que pode fazer a diferença entre o sucesso e a sobrevivência do seu negócio de laticínios

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER