Um gigante do sector alimentar do Qatar anunciou um acordo de 3,5 mil milhões de dólares com o Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Rural da Argélia para desenvolver o maior projeto integrado de criação e produção de lacticínios do mundo no sul do país africano.
"Em 2022, a Argélia importou US$ 1,62 bilhão em leite concentrado e foi o segundo maior importador de leite concentrado do mundo"

Argélia assina acordo de 3,5 mil milhões de dólares com empresa catariana para desenvolver a maior exploração leiteira do mundo

Um gigante do sector alimentar do Qatar anunciou um acordo de 3,5 mil milhões de dólares com o Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Rural da Argélia para desenvolver o maior projeto integrado de criação e produção de gado leiteiro do mundo no sul do país africano.

A empresa alimentar do Qatar, Baladna, assinou um acordo de 3,5 mil milhões de dólares com o Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Rural da Argélia para desenvolver o maior projeto integrado de criação e produção de lacticínios do mundo, de acordo com um documento da Bolsa de Valores do Qatar.

O que aconteceu: O pacto visa a criação de uma vasta exploração de criação de gado para leite em pó e carne no sul da Argélia, informou o Ministério da Agricultura argelino no documento de quarta-feira.

O Ministério declarou que o acordo foi assinado na capital, Argel, por Souad Assous, diretor dos investimentos agrícolas e fundiários do Ministério da Agricultura argelino, e pelo presidente da Baladna, Mohamad Moutaz Al-Khayyat.

“A Argélia pretende reduzir as suas importações de leite em pó e criar emprego para os seus jovens, e a produção da Baladna entrará em funcionamento em 2026”, afirmou o ministério.

A Baladna é a maior empresa de produção de leite e lacticínios do Qatar, que começou a ser negociada na Bolsa de Valores do Qatar em 2019 e tem uma capitalização de mercado de cerca de 2,5 mil milhões de dólares. Produz leite fresco e leite de temperatura ultra-alta.

O projeto cobrirá uma área de 170.000 hectares na província de Adrar e será dividido em três centros, cada um compreendendo uma operação de agricultura arável, uma operação de pecuária leiteira e de corte e uma instalação de fabricação de leite em pó. A Baladna afirmou que o efetivo no local atingirá 270.000 animais, produzindo cerca de 1,7 mil milhões de litros de leite por ano.

A Baladna afirmou que deterá uma participação de 51% no complexo, sendo os restantes 49% detidos pelo Estado argelino através do seu Fundo Nacional de Investimento.

Porque é que é importante: Na declaração à bolsa, a empresa do Golfo afirmou que o projeto irá satisfazer 50% da procura de leite em pó na Argélia e criar 5.000 postos de trabalho locais directos.

“O projeto irá também tirar partido da tecnologia moderna e das melhores práticas de gestão para aumentar a eficiência da produção leiteira, reduzir os custos de produção através de economias de escala e melhorar o controlo de toda a cadeia de valor”, acrescentou Baladna.

O leite é uma indústria importante na Argélia e o país tem registado uma escassez do produto nos últimos anos. Como resultado, o país do Norte de África depende fortemente das importações de leite em pó – em 2022, a Argélia importou 1,62 mil milhões de dólares de leite concentrado, de acordo com os dados do Observatório da Complexidade Económica. De acordo com estes dados, a Argélia era, nesse ano, o segundo maior importador de leite concentrado do mundo.

Relatórios locais deste mês dizem que as filas se tornaram comuns nas cidades argelinas para receber leite em pó racionado e subsidiado. Muitos argelinos protestaram nas redes sociais contra o facto de terem de esperar horas para obter leite.

Nos últimos anos, um grande número de vacas e outros animais foram contrabandeados através das fronteiras para a Argélia. Por exemplo, em outubro de 2022, as autoridades anunciaram a apreensão de 20 vacas que os contrabandistas pretendiam atravessar para a Argélia a partir da Tunísia. Algumas das razões para este facto são os elevados custos associados à matéria-prima em países onde as secas são comuns.

Veja também

Nunca se deve deixar os queijos abertos dentro do refrigerador porque as propriedades frias, porém secantes, destes aparelhos não são boas para o produto.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER