Marcelo Guimarães foi um dos produtores beneficiados por uma consultoria promovida pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e o Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec), em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE), do Governo do Ceará.
Sabíamos que era preciso fazer mais ações com o nosso leite, porque a produção do leite fluido estava se tornando inviável.
Natural de Limoeiro do Norte, Marcelo Guimarães foi um dos produtores beneficiados por uma consultoria promovida pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e o Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec), em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE), do Governo do Ceará. A iniciativa teve como objetivo fortalecer a cadeia produtiva do leite e agregar valor aos produtos regionais.

“Nós só produzíamos e vendíamos para a indústria de laticínio. Sabíamos que era preciso fazer mais ações com o nosso leite, porque a produção do leite fluido estava se tornando inviável. Foi quando comecei a pesquisar sobre queijos maturados e tive conhecimento de uma consultoria que seria ministrada pelo senhor Robert”, lembra Marcelo, se referindo à capacitação ministrada pelo especialista uruguaio em laticínios Robert Carlos Magarinos Hawkins.

A consultoria foi viabilizada por meio do contrato de gestão “Fortalecimento do Setor Agrícola, Pesqueiro e Aquícola no Estado do Ceará”, que previa, entre suas metas, a realização de ações para introdução de técnicas e melhorias no processo de produção de queijos finos e agregação de valor aos produtos lácteos locais. A Adece investiu cerca de R$ 6,5 milhões no projeto, que atendeu 45 produtores de municípios do Vale do Jaguaribe.

Principal atividade da agropecuária cearense, a produção de leite tem alcançado bons resultados ao longo dos últimos anos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mesmo diante dos desafios impostos pelo clima semiárido, o Ceará ocupa a terceira colocação no ranking de produção leiteira do Nordeste e também ranqueia no top-10 nacional.

Queijos premiados

Com os conhecimentos adquiridos durante a consultoria, Marcelo conseguiu fortalecer e expandir sua queijaria: a Dona Vita. “A gente já tinha em mente o que queria para o negócio, mas não dominávamos as técnicas de fabricação. A consultoria trouxe mais segurança para executarmos os nossos processos e obter maior êxito na produção”, comenta o produtor.

“A Adece é um braço estratégico do Governo do Ceará no fomento às cadeias produtivas de vários setores, dentre eles o agronegócio. O estímulo ao aumento do valor agregado dos produtos locais e às novas culturas é uma das ações que vêm sendo executadas. Iniciativas como essa contribuem para o aumento da renda e empregos dos cearenses”, comenta o presidente da Agência, Danilo Serpa.

Membro da terceira geração de uma família de criadores de gado leiteiro, Marcelo passou a desenvolver receitas autorais de queijos maturados. De lá para cá, a queijaria Dona Vita criou quatro novos sabores, que receberam reconhecimento internacional e premiações em concurso da categoria.

“Não seguimos nenhuma receita de queijos já presentes no mercado. São produtos únicos, com sabores e texturas próprias”, explica Marcelo. Os queijos do produtor cearense ganharam o gosto do público e conquistaram ouro e bronze no Mundial de Queijos do Brasil, realizado em 2022. O concurso reuniu mais de 1.100 tipos de queijos de várias partes do mundo.

Os produtos desenvolvidos por Marcelo passam de 60 a 150 dias em processo de maturação. Atualmente, a queijaria Dona Vita, além do Ceará, também está presente nos mercados de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, entre outros estados brasileiros. Segundo o produtor, a empresa está em negociação com outros países para iniciar a exportação dos produtos.

Veja também

Embora o vírus até agora não tenha mostrado nenhuma evidência genética de adquirir a capacidade de se espalhar de pessoa para pessoa, as autoridades de saúde pública estão monitorando de perto a situação da vaca leiteira como parte dos esforços gerais de preparação para a pandemia.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER