Amostras de leite coletadas de bovinos doentes no Kansas e no Texas deram positivo para gripe aviária, mas o suprimento de leite do país é seguro, disse o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) nesta segunda-feira (25).
gripe aviária
"Grupos da indústria láctea dos EUA instaram os importadores a não proibirem ou restringirem os envios de produtos lácteos dos EUA devido às detecções."
As detecções no leite e numa vaca leiteira mostram o amplo alcance do vírus, conhecido como gripe aviária, que foi encontrado em bandos de aves e mamíferos em todo o mundo.

O USDA, juntamente com a FDA e o CDC, estão investigando vacas leiteiras no Kansas, Texas e Novo México com sintomas que incluem diminuição da produção de leite e baixo apetite, disse o USDA.

Até agora, “amostras clínicas de leite não pasteurizado” coletadas em duas fazendas leiteiras no Kansas e uma no Texas deram positivo para gripe aviária altamente patogênica, disse o governo. Um teste de esfregaço de gado de outro laticínio no Texas também deu positivo.

Com base nas descobertas do Texas, as aves selvagens, que espalham o vírus globalmente, parecem ter introduzido o vírus no gado, disse o USDA. Os testes indicam que o risco de infecção humana é baixo, segundo a agência.

O governo disse que o leite das vacas doentes está sendo desviado ou destruído para não entrar no abastecimento alimentar. A pasteurização é necessária para que o leite entre no comércio interestadual, um processo que mata bactérias e vírus como a gripe, disse o USDA.

“Nesta fase, não há preocupação sobre a segurança do fornecimento comercial de leite ou que esta circunstância represente um risco para a saúde do consumidor”, afirmou a agência. Acrescentou que não deverá haver impacto nos preços do leite ou de outros produtos lácteos.

Grupos da indústria láctea dos EUA instaram os importadores a não proibirem ou restringirem os envios de produtos lácteos dos EUA devido às detecções.

Os importadores limitaram as compras de aves dos EUA desde que o pior surto da doença no país começou em rebanhos de frangos e perus em 2022.

Fonte: Reuters

Veja também

“Diga-me o que você come e eu lhe direi quem você é”, do gastrônomo e jurista francês Brillat-Savarin, e “Nós somos o que comemos”, do

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Australia

Don’t cry for me Australia: como os laticínios da Austrália estão seguindo os passos da Argentina

O Brasil, em 2022, atingiu 885.000 toneladas métricas entre vários tipos de queijos tropicais e europeus.

Dados saborosos sobre o consumo e a produção de queijo em todo o mundo, que vão dar água na boca

Publicidade

Publicidade em tempos de crise: a estratégia que pode fazer a diferença entre o sucesso e a sobrevivência do seu negócio de laticínios

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER