Leite/América do Sul – As temperaturas diurnas continuam a subir na América do Sul, aumentando o estresse térmico das vacas leiteiras e diminuindo a produção de leite, particularmente na região do Cone Sul.

Relatório 47 de 21/11/2019

Leite/América do Sul – As temperaturas diurnas continuam a subir na América do Sul, aumentando o estresse térmico das vacas leiteiras e diminuindo a produção de leite, particularmente na região do Cone Sul.

Em outros países do continente, como Brasil, Peru e Equador, a produção se aproxima do pico sazonal. O volume de leite ainda é adequado para atender as necessidades das indústrias de laticínios dos principais países exportadores, principalmente, Argentina e Uruguai.

A produção de queijo, iogurte, leite condensado permanece intensa antes das festas de fim de ano. No entanto, está havendo redução do processamento de leite em pó, o que é normal nessa época do ano.

No Cone Sul os preços de exportação do leite em pó continuam elevados, motivados pela forte demanda, mas também, pelos elevados custos de fabricação.

Veja também

Espera-se que a indústria de laticínios adote continuamente o desenvolvimento de novas forças produtivas de qualidade, como uma tentativa de alcançar uma transformação positiva sob circunstâncias no novo estágio de desenvolvimento, disse Li Pengcheng, presidente executivo da gigante chinesa de laticínios Mengniu Group.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER