Governo russo justifica controle de Companhias multinacionais em meio a disputas geopolíticas.
Essa não é a primeira vez que a Rússia toma medidas para assumir o controle temporário de ativos estrangeiros em resposta a ações consideradas "hostis" por parte dos EUA e de outros países.
Essa não é a primeira vez que a Rússia toma medidas para assumir o controle temporário de ativos estrangeiros em resposta a ações consideradas "hostis" por parte dos EUA e de outros países.
Em um movimento surpreendente, o governo russo assumiu o controle das subsidiárias russas da fabricante de iogurte francesa Danone e da renomada cervejaria dinamarquesa Carlsberg.

Sob um novo decreto assinado pelo presidente Vladimir Putin, as unidades foram colocadas sob “gestão temporária” do Estado, alegando a necessidade de medidas de proteção em meio a tensões geopolíticas crescentes.

 

Vladimir Vladimirovitch Putin, presidente da Rússia.Créditos: instagram: russian_kremlin
Vladimir Vladimirovitch Putin, presidente da Rússia. Créditos: instagram: russian_kremlin.

 

Essa decisão ocorre após uma série de empresas ocidentais interromperem suas operações na Rússia em resposta à invasão da Ucrânia. O novo decreto estabelece que as ações da Danone Russia e da Baltika Breweries, subsidiária da Carlsberg, serão controladas pela agência imobiliária estatal Rosimushchestvo.

A Danone, com sede na França, havia iniciado o processo de venda de seu negócio na Rússia em outubro do ano passado. Em resposta à nova medida russa, a empresa declarou que está “atualmente investigando a situação” e que tomará todas as medidas necessárias para proteger seus direitos como acionista da Danone Rússia, bem como para garantir a continuidade das operações do negócio.

Por sua vez, a Carlsberg informou que não recebeu “nenhuma informação oficial das autoridades russas em relação ao decreto presidencial com consequências para a Baltika Breweries”. A cervejaria dinamarquesa afirmou que já havia concluído um “extenso processo” para separar a unidade russa do restante da empresa e estava em processo de venda da Baltika Breweries. No entanto, com a imposição do decreto, a continuidade desse processo agora está altamente incerta.

Essa não é a primeira vez que a Rússia toma medidas para assumir o controle temporário de ativos estrangeiros em resposta a ações consideradas “hostis” por parte dos EUA e de outros países. Em abril, o presidente Putin assinou um decreto permitindo que o país tomasse temporariamente o controle de empresas de energia estrangeiras, incluindo as subsidiárias russas da alemã Uniper e da finlandesa Fortum.

A Danone é a maior empresa de laticínios na Rússia, empregando cerca de 8 mil funcionários. Estima-se que a decisão de vender seu negócio no país custaria à empresa 1 bilhão de euros (aproximadamente R$ 5,4 bilhões). Por sua vez, a Baltika Breweries, subsidiária da Carlsberg, é responsável pela produção de algumas das marcas de cerveja mais populares na Rússia, contando com 8,4 mil funcionários distribuídos em oito fábricas.

A medida adotada pelo governo russo coloca em evidência as crescentes tensões geopolíticas entre a Rússia e países ocidentais, refletindo as consequências econômicas e empresariais resultantes da invasão da Ucrânia e da deterioração das relações internacionais. A Danone e a Carlsberg agora enfrentam desafios significativos para proteger seus interesses e garantir a continuidade de suas operações no mercado russo.

 

 

Com informações da BBC.

 

 

Aceda aos nossos melhores artigos aqui 👉 Destaques – eDairyNews-BR🐮🥛✨

 

mais

Veja também

Espera-se que a indústria de laticínios adote continuamente o desenvolvimento de novas forças produtivas de qualidade, como uma tentativa de alcançar uma transformação positiva sob circunstâncias no novo estágio de desenvolvimento, disse Li Pengcheng, presidente executivo da gigante chinesa de laticínios Mengniu Group.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER