Júri especializado avaliou 12 marcas de requeijão vendidas nas redes de supermercado, confira o ranking
requeijão
"Durante o teste, falou-se sobre sabores deliciosos e também sobre outros que lembravam a gordura vegetal presente na margarina ou um amargor inadequado para o produto"

Requeijão é coisa nossa e quase todo brasileiro gosta. A ideia do produto veio da necessidade de reaproveitar o excedente da produção do leite. A primeira versão de requeijão cremoso a ir para as prateleiras dos mercados é de 1911. Era um produto mais sólido, vendido em barras, como a manteiga.

O requeijão no copo de vidro, versão que reconhecemos até hoje, foi lançado só em 1955. Desde então, esse derivado do leite, cremoso por natureza e que vai bem com praticamente tudo que há na geladeira, virou o queridinho de todas as horas por estas bandas do Equador.

Foto: Felipe Rau/Estadão

Requeijão com frutas em calda, no pãozinho francês, no lanche da escola, na receita de torta de liquidificador, na chapa da padaria… A qualidade do produto, no entanto, vem sendo questionada nos últimos anos. Por isso Paladar convidou um time de cinco especialistas para avaliar 12 das principais marcas vendidas no supermercado – todos na versão tradicional, feitos com leite de vaca.

 

O teste foi realizado às cegas e foram avaliadas 12 marcas vendidas nos supermercados
O grupo de jurados que participou do teste realizado por Paladar: os queijistas Fernando Oliveira, Falco Bonfadini e Mônica Resende; o gerente gastronômico do grupo Bráz, Rodrigo Augusto, e a food stylist Tatiana Damberg Foto: FELIPE RAU

NOSSOS CONVIDADOS

No time de jurados, os queijistas Falco Bonfadin @galeriadoqueijo, Fernando Oliveira @aqueijaria, Mônica Resende @mestrequeijeiro; a food stilyst Tatiana Damberg @tatudamberg e o gerente gastronômico do grupo Bráz, Rodrigo Augusto. Eles se reuniram, a convite de Paladar, na simpática casinha da @cozinhadaqueijaria, na Vila Beatriz. Ali, entre uma colherada e outra de requeijão intercaladas com fatias de maçã para limpar o paladar entre uma prova e outra, eles avaliaram quesitos com aspecto visual, firmeza da massa, aroma e sabor.

O resultado foi surpreendente na avaliação dos jurados. Alguns produtos que aparentavam ser ótimos, tinham sabor suave em demasia ou pouco atrativo. Durante o teste, falou-se sobre sabores deliciosos e também sobre outros que lembravam a gordura vegetal presente na margarina ou um amargor inadequado para o produto. Falou-se também sobre algumas marcas que tinham textura similar à da maionese, muito longe da cremosidade esperada de um requeijão.

EXPECTATIVA E REALIDADE

Durante o teste, os jurados davam notas de 1 a 10 para cada um dos quesitos avaliados. Teve requeijão que ganhou nota 9 e requeijão que ficou abaixo da média de 5 pontos. Alguns alcançaram notas altas pelo conjunto da obra, outros foram prejudicados por alguma característica específica: muito consiste ou líquido demais, para citar um exemplo. O critério de avaliação decisivo, no entanto, era o sabor. Ao final do teste, a missão era encontrar entre as 12 marcas avaliadas, as três que mais lembrassem as origens do requeijão no Brasil: um produto com sabor delicado, textura cremosa e apresentação de dar água na boca.

O grupo de jurados que participou do teste realizado por Paladar: os queijistas Fernando Oliveira, Falco Bonfadini e Mônica Resende; o gerente gastronômico do grupo Bráz, Rodrigo Augusto, e a food stylist Tatiana Damberg
Os jurados avaliaram quesitos como aspecto visual, firmeza da massa, aroma e sabor Foto: FELIPE RAU

OS MELHORES REQUEIJÕES DO MERCADO

PRIMEIRO LUGAR – CRIOULO

SEGUNDO LUGAR – AVIAÇÃO

TERCEIRO LUGAR – POÇOS DE CALDAS}

 

AS 12 MARCAS NA AVALIAÇÃO DOS JURADOS

AVIAÇÃO (R$ 14,79, o pote de vidro com 250g) O segundo colocado no ranking do Paladar apresentou, na opinião dos jurados uma textura muito similar a do requeijão artesanal, sabor agradável, aroma defumado e bom equilíbro de acidez e sal. Alguns dos jurados, porém, acharam o produto um pouco salgado em comparação aos demais.

CATUPIRY (R$ 8,93, o pote de plástico com 200g) No quesito aparência o produto foi bem na avaliação dos jurados. Alguns apontaram o sabor como leve demais e a textura um pouco mais líquida que o desejável.

CRIOULO (R$ 15,99, o pote de vidro com 220g) O campeão do nosso teste apresentou, na avaliação dos jurados, textura perfeita, sabor suave e agradável, cremosidade na medida, leve aroma de leite e bom equilíbrio no sal. Foi o único requeijão contemplado com notas 9 na escala de 0 a 10.

DANONE (R$ 8,04, o pote de plástico com 200g) Os jurados foram unânimes na definição de um produto muito líquido para os padrões esperados. Outros pontos levantados: a quase inexistência de aroma, um sabor suave demais, com retrogosto amidoso e um resquício arenoso na língua.

DANÚBIO (R$ 12,43 o pote de vidro com 220g) Os jurados classificaram a textura do produto como muito firme, levemente gelatinosa e próxima da maionese. Também foram identificados aroma agradável, parecido com o do leite em pó, um pouco adocicado e sabor final com resquícios de óleo vegetal.

ITAMBÉ (R$ 11,09, o pote de vidro com 200g) Um produto de sabor suave, textura boa para uns e um tanto densa demais para outros e ausência de aroma. Quase todos os jurados relataram um retrogosto incômodo no final, um pouco adstringente (sensação de secura na boca).

NESTLÉ (R$ 9,04, o pote de plástico com 200g) Os jurados avaliaram a textura como muito firme, parecida com maionese, longe da cremosidade esperada de um requeijão. O sabor foi avaliado como bom, apesar do retrogosto que lembra a gordura vegetal da margarina; aroma suave e levemente adocicado.

POÇOS DE CALDAS (R$ 9,14, o pote de plástico com 200g) O terceiro colocado no ranking do Paladar apresentou textura perfeita, coloração levemente amarelada (que remete à gordura do leite), sal no ponto, bom aspecto visual. Um requeijão muito saboroso e levemente amanteigado na avaliação dos jurados.

PRESIDENT (R$ 11,46, o pote de vidro com 200g) Quase todos os jurados identificaram uma textura mais granulosa no produto de sabor suave, entre o iogurte e o creme de leite fresco. Também foi apontada certa acidez e sal um pouco acima do ponto no requeijão.

QUALITÁ (R$ 6,99, o pote de plástico com 200g) Todos os jurados identificaram um certo amargor no produto de textura boa e bom aspecto visual.

TIROLEZ (R$ 8,81, o pote de plástico com 200g) Um produto de textura mais firme do que cremosa, similar a da maionese. Sabor suave, que poderia ter mais proximidade com o do creme de leite e um bom teor de sal.

VIGOR (R$ 8,73, o pote de plástico com 200g) Os jurados entenderam a textura do produto como similar à de uma maionese firme. Um requeijão de aspecto brilhante, sabor suave e próximo do creme de leite, sal na medida certa.

Veja também

Embora o vírus até agora não tenha mostrado nenhuma evidência genética de adquirir a capacidade de se espalhar de pessoa para pessoa, as autoridades de saúde pública estão monitorando de perto a situação da vaca leiteira como parte dos esforços gerais de preparação para a pandemia.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER