Produzida pela Emater, publicação busca resgatar saberes e valorizar a história da produção de queijos artesanais em Minas Gerais.
O livro “Queijos Artesanais de Minas Gerais”, produzido pela Emater-MG, será mais do que um registro histórico
O livro “Queijos Artesanais de Minas Gerais”, produzido pela Emater-MG, será mais do que um registro histórico.
A história da produção de queijos artesanais em Minas Gerais remonta aos tempos coloniais, quando as técnicas de fabricação foram trazidas pelos colonizadores portugueses e adaptadas ao contexto local.

Desde então, a arte de produzir queijos passou de geração em geração, incorporando saberes ancestrais e mantendo vivas as tradições de cada região do estado.

Das montanhas da Serra da Canastra ao Vale do Jequitinhonha, passando pelo Campo das Vertentes e pela região do Serro, cada localidade tem seus próprios métodos de produção, segredos de família e características únicas que conferem aos queijos mineiros um sabor e aroma inigualáveis.

Buscando resgatar saberes e valorizar a história da produção de queijos artesanais em Minas, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) está imersa em um projeto ambicioso e saboroso: a produção de um livro dedicado aos queijos artesanais de Minas Gerais.

Com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2024, o livro “Queijos Artesanais de Minas Gerais” tem como objetivo principal contar a história das famílias e das tradições envolvendo a produção de queijos artesanais em diversas regiões do estado.

A equipe da Emater-MG está empenhada em percorrer as 15 regiões mineiras caracterizadas como produtoras desses queijos, colhendo relatos, histórias e fotografias que ajudarão a compor esse rico retrato cultural.

A equipe do projeto já deu os primeiros passos, visitando as regiões produtoras de Alagoa, Mantiqueira de Minas, Campo das Vertentes e Canastra. No entanto, o trabalho está longe de terminar, pois em 2024 estão previstas visitas às demais regiões caracterizadas.

Patrimônio cultural e identidade sociocultural de Minas Gerais

O queijo Minas artesanal é parte intrínseca da identidade de Minas Gerais. Reconhecido como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), sua produção remonta aos tempos coloniais, sendo uma atividade tradicional que desempenha um papel crucial na economia e na identidade sociocultural do estado.

Atualmente, o estado possui dez regiões caracterizadas como produtoras deste tipo de queijo: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Diamantina, Entre Serras da Piedade ao Caraça, Serra do Salitre, Serras da Ibitipoca, Serro e Triângulo Mineiro.

Celebrando o sabor e a tradição de Minas

O livro “Queijos Artesanais de Minas Gerais”, produzido pela Emater-MG, será mais do que um registro histórico – será uma celebração do sabor, da tradição e da dedicação das comunidades que dedicam suas vidas à produção dessas preciosidades gastronômicas. Por meio de suas páginas, os leitores poderão viajar pelas paisagens, histórias e sabores de Minas Gerais, mergulhando em uma experiência sensorial única e deliciosa.

Veja também

Embora o vírus até agora não tenha mostrado nenhuma evidência genética de adquirir a capacidade de se espalhar de pessoa para pessoa, as autoridades de saúde pública estão monitorando de perto a situação da vaca leiteira como parte dos esforços gerais de preparação para a pandemia.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER