A suplementação pode ser útil em fases posteriores da vida, no entanto, apresenta alguns efeitos colaterais
"Os suplementos alimentares não são milagrosos e devem ser utilizados com cautela"
O mercado de suplementos alimentares no Brasil está em alta. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais (ABIA), o setor faturou R$ 74,3 bilhões em 2023. Em Jundiaí e região, o aumento nas vendas também é significativo, no entanto, é importante ter acompanhamento nutricional.

Camilo Santos Pereira, 40 anos, proprietário de uma loja de suplementos na Vila Arens, revela que os clientes buscam cada vez mais produtos direcionados a objetivos específicos. “Percebo um aumento na procura por suplementos para hipertrofia muscular, definição corporal e aumento de energia.

Os clientes, geralmente de 18 a 23 anos, querem resultados rápidos e específicos e os suplementos são vistos como aliados nesse processo.” Contanto, o proprietário sempre ressalta que os suplementos alimentares não são milagrosos e devem ser utilizados com cautela.

Vendedora de uma loja de suplementos em Várzea Paulista há quase quatro anos, Luiza Patena, 24 anos, acabou de se formar em educação física. “Percebo uma grande demanda por suplementos para melhorar a saúde geral, como vitaminas, minerais e probióticos. Embora jovens, eu acredito que as pessoas estão mais conscientes da importância da nutrição para a saúde e bem-estar”, afirma.

A nutricionista especialista em nutrição esportiva, Maria Júlia Venditti, 32 anos, explica que o aporte de nutrientes é importante para quem está começando uma vida ativa na academia, porém, alguns suplementos podem apresentar efeitos colaterais, como náuseas, diarreia e problemas gastrointestinais.

“Suplementos podem e devem ajudar a suprir deficiências nutricionais, especialmente quando a dieta não fornece os nutrientes necessários para a recuperação e o crescimento muscular. A creatina, por exemplo, pode auxiliar no aumento da força e da resistência muscular, otimizando o desempenho nos treinos.

Porém, ingerida de forma exagerada, pode causar uma sobrecarga nos rins. Também é importante ter em mente que alguns suplementos podem interagir com medicamentos, por isso é fundamental informar o médico sobre qualquer suplementação que esteja realizando.”

Maria Júlia pontua que o desequilíbrio hormonal também pode acontecer. “Suplementos como a proteína em pó podem interferir no desenvolvimento hormonal natural dos jovens, especialmente durante a puberdade. Além disso, a dependência de suplementos pode levar a uma negligência da alimentação, prejudicando a saúde geral.”

Ela também aconselha. “A suplementação pode ser útil em fases posteriores da vida, quando o corpo já está completamente desenvolvido e a dieta e o treino não suprem todas as necessidades. Eu sempre falo, principalmente para os jogadores de futebol sub-16: ‘Esperem. Vocês são novos e é exatamente por isso que o corpo se adapta mais rápido às rotinas impostas. Um treino certo e uma alimentação balanceada já são o suficiente para vocês’”, finaliza.

Veja também

Nunca se deve deixar os queijos abertos dentro do refrigerador porque as propriedades frias, porém secantes, destes aparelhos não são boas para o produto.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER