Evento recebeu cerca de 100 produtores artesanais que expuseram seus queijos e entregou mais de 600 medalhas. Confira a reportagem da SuperVarejo
O evento também realizou 3 concursos nacionais (Melhor Fondue do Brasil, Melhor Queijeiro do Brasil e Melhor Queijista do Brasil) e um internacional (Queijos e Produtos Lácteos).
A terceira edição do Mundial do Queijo do Brasil, realizada na cidade de São Paulo, no Teatro B32, entre os dias 11 e 14 de abril, recebeu milhares de pessoas durante os quatro dias de evento e entregou mais de 600 prêmios. Confira o que rolou durante o evento nessa reportagem exclusiva da SuperVarejo:

O mundial é promovido pela SerTãoBras, associação de produtores de queijos artesanais criada há 16 anos, e realizado a cada dois anos em parceria com a Guilde Internationale des Fromagers, a maior associação de queijeiros do mundo, presente em mais de 40 países.

Débora Pereira, diretora da SerTãoBras, celebrou o sucesso do 3° Mundial do Queijo do Brasil e destacou que a próxima edição do evento está confirmada: “A Guilde Internationale des Fromagers já está com data marcada de 16 a 19 de abril de 2026, para a nossa quarta edição. O evento é a oportunidade perfeita de valorizar os nossos produtores de queijos artesanais espalhados pelo Brasil e que merecem cada vez mais reconhecimento.”

Na parte externa do teatro, uma centena de produtores artesanais expuseram seus queijos, além de outros produtos artesanais como doces e geleias.

O evento também realizou 3 concursos nacionais (Melhor Fondue do Brasil, Melhor Queijeiro do Brasil e Melhor Queijista do Brasil) e um internacional (Queijos e Produtos Lácteos).

Receita de chef carioca Malu Mello foi eleita como Melhor Fondue do Brasil

No dia de abertura do evento, 11/04, foi realizado o Concurso de Melhor Fondue do Brasil. A receita de Malu Mello foi eleita como Melhor Fondue do Brasil. Sendo metade da receita queijo gruyère, a chef carioca adicionou queijo raclette e um queijo azul de 60 dias de maturação e se destacou na competição. Malu fez questão de usar na sua receita produtos nacionais para incentivar produtores pequenos. Além disso, a chef adicionou a cachaça Magnífica, do Rio de Janeiro, no seu fondue.

 

Todos os seis participantes do concurso tiveram que seguir a regra de usar em seu prato 50% do queijo gruyére, já a outra metade foi uma escolha de cada participante

Queijo brasileiro Morro Azul fica em 1° lugar em Concurso Internacional de Queijos e Produtos Lácteos

Na sexta-feira, 12/04, o Mundial do Queijo do Brasil elegeu o queijo Morro Azul como o grande vencedor do Concurso de Queijo e Produtos Lácteos superando concorrentes brasileiros e internacionais. O queijo Morro Azul é produzido no Laticínios Pomerode, na cidade de Pomerode, em Santa Catarina. Enrolado em uma cinta de madeira, ele é um queijo suave e cremoso. Notas amanteigadas e lácteas são predominantes. É um produto livre de lactose, sem adição da enzima lactase. (A lactose é eliminada naturalmente na maturação)

O Morro Azul é um queijo de leite de vaca e tem casca mofada e massa mole e foi desenvolvido pelos irmãos Juliano e Bruno Mendes, proprietários do Laticínios Pomerode. Ele foi premiado em 2023 no 35º “World Cheese Awards”, na Noruega, como o Melhor Queijo da América Latina.

Juliano Mendes comemorou o resultado alcançado com seu queijo Morro Azul: “Foi um dos dias mais especiais das nossas vidas profissionais! Obrigado a todos que nos apoiam e acreditam no nosso trabalho. Parabéns a toda nossa equipe que se dedica diariamente para fazer sempre os melhores queijos possíveis. O queijo Morro Azul tem uma história muito especial para nós. Foi nosso primeiro queijo autoral, com receita criada aqui em Pomerode”.

 

O top 3 do concurso foi completado em segundo lugar com o queijo Le Gruyère AOP Réserve (14 mois), de Gullet Vincent, e na terceira posição o Le Gruyère d’alpage AOP7, de Stefan Konig.

Concurso também distribuiu cerca de 600 medalhas

O Mundial do Queijo do Brasil também premiou cerca de 600 queijos e produtos lácteos com diferentes medalhas. Foram distribuídas medalhas de Super Ouro, Ouro, Prata e Bronze. 1900 produtos foram avaliados por 300 jurados que se organizaram em mesas espalhadas pelo Teatro B32, na Avenida Faria Lima.

Cada mesa contava com cerca de 20 produtos que eram avaliados cuidadosamente por dois ou mais jurados que computavam suas notas por meio de um aplicativo desenvolvido para o concurso.

Henrique Herbert foi eleito Melhor Queijeiro do Brasil

Na noite do sábado, dia 13/04, Henrique Herbet, do Paraná, foi eleito como Melhor Queijeiro do Brasil durante o Mundial do Queijo do Brasil 2024.

Para a competição, Henrique apresentou um queijo suave de sabor intenso que ele batizou de “entardecer do Oeste”. “É uma massa prensada semi cozida, textura levemente elástica, mas com uma massa firme e fechada. Os sabores são ácidos, frescos, láticos, de creme de leite, de carne maturada, complexos, com um visual diferenciado, explica Henrique que também é Mestre Queijeiro da Queijaria Flor da Terra, além de supervisor e responsável técnico da Biopark.

Henrique é Engenheiro de Alimentos e Mestre em Biociência pela UTFPR. Durante a competição do Mundial do Queijo, ele foi ajudado por Kennidy de Bortoli, também queijeiro do Biopark.

 

Em segundo lugar no Concurso de Melhor queijeiro ficou Tayllanny Araújo, da Cabana da Tatá, de São Geraldo do Araguaia-Pará. E em terceiro, Sandra Piovesan, do Sítio Esperança, do Rio Grande do Sul.

Competição contou com 4 etapas

  • Na primeira prova, em Nova Erechim/SC dia 20 de janeiro de 2024, o queijeiro foi testado quanto ao saber-fazer profissional e sua capacidade em produzir queijo em condições diferentes da sua rotina.
  • A segunda prova testou a capacidade de maturar um queijo em condições especiais, na sua própria queijaria.
  • A terceira prova testou a capacidade de produzir queijo no conforto do seu ambiente de trabalho.
  • A quarta etapa aconteceu no sábado, 13 de abril de 2024, no âmbito do Mundial do Queijo do Brasil.

Anderson Magalhães foi eleito Melhor Queijista do Brasil

Também na noite do sábado, o Mundial do Queijo do Brasil 2024 elegeu o paulista Anderson Magalhães como o Melhor Queijista do Brasil. Anderson é consultor de queijos (fromager) do Grupo Pão de Açúcar. Diferente do queijeiro, que produz o queijo, o queijista vende queijo. Na competição é avaliado a paixão pelo ofício.

 

Para selecionar o Melhor Queijista do Brasil, os jurados realizaram provas de preparação de uma tábua de queijos, preparação de uma obra de arte queijeira, conhecimentos gerais e uma apresentação oral.

O concurso tem a chancela do Concours de Meilleur Fromager du Monde do Mondial du Fromage de Tours na França. O vencedor teve sua vaga garantida para participar na próxima edição, na França, em setembro de 2025. Além do reconhecimento do trabalho, Anderson também ganhou uma passagem de São Paulo para Paris para participar do evento na França.

Essa foi a segunda vez que o Concurso de Melhor Queijista foi realizado no Mundial do Queijo e além de Anderson, contou com Cristiane Abade de Londrina, Paraná, no segundo lugar e Juliana Pereira, de Socorro, São Paulo, na terceira colocação.

 

Veja também

“Diga-me o que você come e eu lhe direi quem você é”, do gastrônomo e jurista francês Brillat-Savarin, e “Nós somos o que comemos”, do

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Australia

Don’t cry for me Australia: como os laticínios da Austrália estão seguindo os passos da Argentina

O Brasil, em 2022, atingiu 885.000 toneladas métricas entre vários tipos de queijos tropicais e europeus.

Dados saborosos sobre o consumo e a produção de queijo em todo o mundo, que vão dar água na boca

Publicidade

Publicidade em tempos de crise: a estratégia que pode fazer a diferença entre o sucesso e a sobrevivência do seu negócio de laticínios

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER