O concurso foi realizado de 11 a 14 de abril, em São Paulo. Dezessete países e 2 mil queijos concorreram aos prêmios. Mato Grosso teve cinco produtores familiares premiados pela qualidade dos produtos
"Mato Grosso teve cinco produtores familiares premiados pela qualidade dos produtos"
A Frente Parlamentar de Apoio ao Pequeno Produtor de Leite da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), presidida pelo deputado Gilberto Cattani (PL), recebeu a comitiva de produtores de queijo de Mato Grosso premiados pela qualidade nos produtos, no 3º Mundial do Queijo do Brasil, realizado entre 11 e 14 de abril, em São Paulo. Dezessete países e 2 mil queijos concorreram aos prêmios.

Os 38 participantes e familiares também foram recebidos pelos deputados, presidente da ALMT, Eduardo Botelho (União), primeiro-secretário da ALMT, Max Russi (PSB), e Carlos Avallone (PSDB). Representando o município de Nossa Senhora do Livramento, o produtor de queijo Silas Vicente Barbosa Júnior foi um dos seis premiados no Mundial. Ele ganhou a medalha de ouro, na categoria Mofo Azul.

“Mato Grosso é um estado que está engatinhando ainda na produção do queijo e a gente vê esses produtos artesanais principalmente, muito simples que a pessoa nunca fez um curso, nunca aprendeu como realmente fazer um queijo que resulta em vencer prêmio. É um reconhecimento de que o nosso produto tem qualidade, perante dois mil queijos participantes, não só do Brasil, mas como de todo o mundo.

O governo do estado está com a política de uma nova legislação, apoiando a agricultura familiar, principalmente o setor do queijo artesanal, isso ajuda o pequeno produtor a produzir dentro da lei”, explicou Silas.

Raquel Catanni, de Nova Mutum, ganhou 2 medalhas a ‘Super Ouro’ com seu Queijo Maringá e ‘Ouro’ com o Nozinho Temperado. Ela disse que nunca havia participado de uma competição e que a experiência foi gratificante.

“Foi interessante participar do 3º Mundial do Queijo do Brasil. Percebi o quanto somos valorizados, a gente fica só no sítio, lá com a nossa produção, porque é completamente artesanal e pequena, a gente acha que o mundo não nos enxerga. Eu não estava esperando ganhar, eu fui apenas pela experiência e acabei trazendo medalhas”, comemorou Raquel.

O gerente da agência do Sebrae-MT em Cuiabá, Charles Padilha, disse que a entidade acredita no sonho dos pequenos produtores.

“Às vezes o grande tem todo aparato, tem recursos, tem contatos, e o pequeno, o que fazer com o pequeno, e o Sebrae acredita no desenvolvimento, na transformação dos pequenos negócios e dos produtores rurais, eu também não sou da área de leite, mas eu já tirei leite, meus tios são leiteiros. Esse ano, nós tivemos seis premiações, e queremos mais, abrir mercado e investir na área rural”, comemorou Padilha.

O deputado Gilberto Cattani disse que o Mundial avaliou que o queijo de Mato Grosso é um dos melhores do mundo e isso traz muito orgulho para o estado. “De todos os produtores que estão aqui, muitos não conseguem ter nem o registro da sua produção e nem a sua venda em mercados, porque não conseguem a legalização por causa da burocracia.

A Assembleia Legislativa já confeccionou junto com o governo do estado um projeto de lei, já foi aprovado, falta só a regulamentação desse projeto para que o pequeno produtor possa ter uma acessibilidade à documentação, a regulamentação da sua atividade. Esperamos a agilidade do governo para que essas pessoas possam ser reconhecidas no seu estado, assim como foram lá na capital de São Paulo”, explicou Cattani.

O deputado Carlos Avallone parabenizou a comitiva pelas premiações e disse que há anos vem trabalhando para garantir o incentivo aos produtores de leite.

“Desde o governo Dante de Oliveira, quando eu era secretário, criamos o programa Proleite e começamos a dar incentivo para trazer as indústrias maiores para cá, desde que o produtor de leite recebesse parte do incentivo. Essa foi a grande jogada que nós fizemos e desde então eu continuo trabalhando e apoiando a cadeia produtiva do queijo”, contou Avallone.

Presente na reunião, o deputado Max Russi parabenizou os participantes e o deputado Cattani pelo reconhecimento, por meio da ALMT. “A Casa acaba recebendo muitas demandas de outras instituições que não conseguem resolver. O Parlamento tem essa função de escutar, de ouvir e de levar as demandas de algum setor ou a algum seguimento. A premiação é importante para Mato Grosso, que coloca o nosso estado em evidência e referência”, disse Max.

O presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho, parabenizou a comitiva nesse concurso internacional. “Significa dizer que Mato Grosso tem qualidade e nós precisamos criar um selo de qualidade, fazer uma ampla discussão entre a indústria e o comércio e vender para o exterior, isso agrega valor.

Estamos fazendo um compromisso para o ano que vem junto com o Sebrae em levar esses produtores de queijo a Paris em mais um concurso mundial”, comemorou Botelho.

Também participaram da reunião representantes da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea), Associação dos Municípios de Mato Grosso (AMM).

Veja também

Nunca se deve deixar os queijos abertos dentro do refrigerador porque as propriedades frias, porém secantes, destes aparelhos não são boas para o produto.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER