Leite zero lactose e A2 foram os que mais tiveram crescimento em comparação a 2022.
“A linha de leites diferenciados teve crescimento de 20% nas vendas no último ano, em comparação com 2022. A maior procura foi de zero lactose e leite A2, que possui melhor digestão, seguido pelo leite proteico”
“A linha de leites diferenciados teve crescimento de 20% nas vendas no último ano, em comparação com 2022. A maior procura foi de zero lactose e leite A2, que possui melhor digestão, seguido pelo leite proteico”
O consumo de leite faz parte da rotina diária de muitas pessoas, seja puro, nas combinações com café ou chocolate e no preparo das receitas.

A bebida é um alimento completo, que ajuda a prevenir a osteoporose, fortalece o ganho de massa muscular, auxilia na perda de peso, mantém a saúde da visão, fortalece o sistema imunológico e contribui para a cicatrização.

Ele pode ser encontrado nas prateleiras do supermercado em diversas versões: puro ou natural, pasteurizado (que vem no saco e pode ser refrigerado), longa vida (em caixa), em pó e desidratado. Com a tecnologia, novas opções ganham espaço nas prateleiras, como a linha de leites diferenciados como zero lactose, proteicos, tipo A2, e, também, de origem vegetal, como de amêndoas, por exemplo.

No Covabra Supermercados, o consumo do leite segue crescendo. Marcos Paulo, gerente do setor de mercearia básica, explica que a categoria registrou aumento nas vendas. “A linha de leites diferenciados teve crescimento de 20% nas vendas no último ano, em comparação com 2022.

A maior procura foi de zero lactose e A2, que possui melhor digestão, seguido pelo leite proteico”, esclarece. O tipo A2 é uma novidade no mercado brasileiro que possui apenas a variante A2 da proteína beta-caseína, sendo comumente consumido por quem possui intolerância à proteína do leite.

Ao todo, a rede possui mais de 50 opções, entre longa vida, armazenados em caixa, garrafa de 1 litro, fresco pasteurizado em saco ou garrafa. Os proteicos são encontrados em versões individuais de 250 ml, com uma variedade de sabores, além do leite em pó. São diversas opções disponíveis, como o de vaca, que pode ser integral, semidesnatado e desnatado. Além disso, há opções de origem vegetal, como a bebida de amêndoas e de coco. Outra opção é o proteico, que utiliza o soro do leite e muitas vezes é de algum sabor.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2023, foram produzidos 24,52 bilhões de litros, 2,5% a mais em relação ao ano anterior. Dados do MilkPoint e da Embrapa apontam que, no mesmo ano, o consumo anual por habitante foi de 163 litros.

 

 

Veja também

Embora o vírus até agora não tenha mostrado nenhuma evidência genética de adquirir a capacidade de se espalhar de pessoa para pessoa, as autoridades de saúde pública estão monitorando de perto a situação da vaca leiteira como parte dos esforços gerais de preparação para a pandemia.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER