Comemorado dia 1º de junho, o dia mundial do leite é uma data muito celebrada. Saiba mais sobre esse segmento tão importante para a economia e nutrição humana.
consuma leite! Nossa saúde e o meio ambiente agradecem!
Consuma leite! Nossa saúde e o meio ambiente agradecem!

No último dia 1º de junho foi comemorado o Dia Mundial do Leite. Considerado um dos alimentos mais completos, é fonte de proteínas, vitaminas e cálcio, beneficiando a saúde de crianças, adultos e também idosos.

Puro, com café ou com chocolate, é um alimento versátil e multifuncional, já que é também utilizado em receitas doces e salgadas ou como matéria-prima para vários derivados produzidos pela indústria de laticínios.

E é para comemorar essa data que a Agrishow desenvolveu este artigo. Nele, você irá conhecer todas as características nutricionais deste rico e completo alimento, assim os desafios para a produção leiteira. Vamos lá?

Leite: alimento com vantagens nutricionais para diferentes fases da vida

Por séculos, o leite e todos seus derivados têm sido ícones de saúde e nutrição humana. Seu consumo tem um papel importante na nutrição como um todo, no crescimento, desenvolvimento e fortalecimento de ossos e dentes.

Diante disso, os benefícios do leite englobam as diferentes fases da vida, dentre os quais se destacam:

Crianças

  • Desenvolvimento ósseo e muscular: Rico em cálcio e vitamina D, ele contribui com o crescimento ósseo forte e saudável, além de contribuir para o desenvolvimento muscular;
  • Fortalecimento do sistema imunológico: Seus proteínas e vitaminas auxiliam na construção e no funcionamento das defesas do corpo, combatendo infecções e prevenindo doenças;
  • Fonte de energia: O leite fornece energia para as atividades físicas e brincadeiras das crianças, além de contribuir para o bom funcionamento do cérebro;

Adultos

  • Saúde óssea: Assim como ocorre com as crianças, o alimento continua sendo importante para manter a saúde óssea na vida adulta, prevenindo doenças como osteoporose;
  • Massa muscular: Seus proteínas auxiliam na manutenção da massa muscular, combatendo a perda muscular natural que é acelerada com o envelhecimento;
  • Saúde cardiovascular: Alguns estudos sugerem que o seu consumo pode estar associado à redução do risco de doenças cardíacas.

Idosos

  • Prevenção de quedas: Pela sua alta presença de cálcio, o consumo de leite ajuda na manutenção dos ossos fortes. Também previne fraturas, reduzindo o risco de quedas;
  • Saúde muscular: Seus proteínas são importantes para manter a massa muscular e a força;
  • Qualidade de vida: O seu consumo pode contribuir para uma melhor qualidade de vida, promovendo a saúde óssea, muscular e geral dos idosos.

Diante de todos esses benefícios, comemorar o dia mundial do leite é relembrar a importância de um alimento que contém nutrientes importantes capazes de ajudar no combate à fome e à insegurança alimentar de todo o planeta.

Aspecto econômico da produção de leite no Brasil

Além de todos os benefícios nutricionais, ele tem uma importância muito grande também para a economia brasileira.

Apesar de um cenário que vem se alterando desde 2021, com vários produtores saindo da atividade e redução do rebanho em vários estados do país, a produção leiteira ainda tem sua parcela de importância para a economia nacional.

O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de leite do mundo, com cerca de 34,6 bilhões de litros produzidos por ano.

Segundo o MAPA, o número de vacas ordenhadas caiu 1% e representou 6,7% do efetivo total de bovinos em 2022, o que pode indicar desinvestimento na produção de leite.

Dessa forma, mesmo diante de uma das maiores crises da história, os produtores que se mantêm ativos têm aumentado significativamente a sua produtividade. Para isso, eles têm investido forte em genética, alimentação e manejo do gado, conforto animal e muito mais.

Além disso, a cadeia produtiva do leite é responsável por 4 milhões de empregos diretos e 12 milhões de empregos indiretos, com produção ocorrendo em 98,8% dos municípios brasileiros, tendo a predominância de pequenas e médias propriedades.

Novas IN aumentam a qualidade e a segurança do leite

Nada melhor do que o dia mundial do leite para conhecer os principais desafios relacionados ao aumento da qualidade e da segurança do leite produzido.

Tal necessidade está em conformidade com a exigência de um consumidor cada vez mais atento e exigente quanto à qualidade e origem de tudo o que consome.

Ou seja, produzir leite com qualidade é fundamental para qualquer produtor que deseja manter-se no mercado.

E é para aumentar a qualidade e segurança do leite para os consumidores brasileiros, que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) editou, no final de 2018, duas normativas que trouxeram mudanças na cadeia produtiva do leite.

Conhecidas como Instruções Normativas n° 76 e 77, essas novas regras estabelecem procedimentos desde a produção na propriedade leiteira até os critérios finais de qualidade dos leites pasteurizados.

As normas são válidas para todo o território nacional e devem ser cumpridas por todos os produtores de leite do Brasil. Veja detalhes:

Instrução Normativa n° 76 / 2018

IN 76 aprova os regulamentos técnicos que fixam a identidade e as características de qualidade que devem apresentar o leite cru refrigerado, o leite pasteurizado e o leite pasteurizado tipo A.

Instrução Normativa n° 77 / 2018

IN 77, por sua vez, estabelece os critérios e procedimentos para a produção, acondicionamento, conservação, transporte, seleção e recepção do leite cru em estabelecimentos registrados no serviço de inspeção oficial.

Dicas extras para aumentar a qualidade da produção leiteira

Todo pecuarista que investe na atividade leiteira tem grandes desafios pela frente. Cabe a ele produzir um produto que atenda às necessidades de bem-estar animal, social, econômico e de sustentabilidade.

Para atingir tais objetivos, todo produtor deve seguir algumas práticas importantes. Veja alguns exemplos, incluindo os previstos pela legislação vigente:

  • Manutenção da higiene do local e equipamentos;
  • Cuidados com a alimentação adequada dos animais e o armazenamento;
  • Utilização de água tratada;
  • Cuidados com a refrigeração e estocagem do leite;
  • Higiene pessoal e saúde de todos os trabalhadores;
  • Higiene de superfícies, equipamentos e instalações;
  • Controle constante de pragas;
  • Correto descarte de animais que apresentem a forma crônica de mastite;
  • Capacitação contínua e treinamento dos trabalhadores;
  • Manejo de ordenha e pós-ordenha: higiene do ordenhador, limpeza e secagem dos tetos, a limpeza e higienização de todos os equipamentos e utensílios;
  • Adequação das instalações, equipamentos e utensílios para produção de leite;
  • Adoção de práticas de manejo racional e de bem-estar animal.

Conheça o Programa de biosseguridade da Embrapa

Nos dias 16 e 17 de abril, aconteceu na sede da Embrapa, em Brasília, o 2º Fórum Nacional do Leite, promovido pela Associação Brasileira de Produtores de Leite (Abraleite).

No evento, ocorreu o lançamento do Programa de certificação em biosseguridade para propriedades lácteas.

Desenvolvido pela Embrapa Gado de Leite em parceria com a Boehringer-Ingelheim Saúde Animal, com base nas boas práticas e procedimentos operacionais padrão, o programa é mais um avanço em segurança alimentar do leite.

O termo “biosseguridade” refere-se às medidas e práticas destinadas à prevenção da propagação de agentes infecciosos em ambientes biológicos, como laboratórios, hospitais e centros de pesquisa.

Por meio deste programa, o conceito enfim chega às fazendas leiteiras, permitindo a adoção de medidas mais eficazes para:

  • Uso de equipamentos de proteção individual;
  • Procedimentos de segurança;
  • Controles de biossegurança;
  • Implementação de protocolos para minimizar o risco de exposição tanto de pessoas quanto de animais a agentes patogênicos.

Em reportagem do portal da Embrapa, o pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Bruno Campos de Carvalho destaca que essa é uma medida que protege a todos.

A biossegurança é fundamental para proteger a saúde das pessoas, dos animais e do meio ambiente”, diz.

Segundo Carvalho, o Programa se apoia no conceito de “saúde única”. “O Programa tem como objetivo integrar a saúde dos rebanhos e das pessoas que atuam na fazenda, além da conservação ambiental de uma forma holística e preventiva”.

Dessa forma, o dia mundial do leite é mais um momento de reflexão, com cada agente dessa ainda imensa cadeia devendo pensar em soluções para atender as demandas da segurança alimentar e promover a preservação ambiental.

Neste contexto, a ciência já oferece ferramentas que fazem com que possamos usar insumos e recursos com eficiência, ou seja, produzindo o mesmo litro de leite com menos água, energia ou fertilizantes químicos.

Então: consuma leite! Nossa saúde e o meio ambiente agradecem!

 

 

Filled unopened milk bottle isolated on white background

Veja também

Embora o vírus até agora não tenha mostrado nenhuma evidência genética de adquirir a capacidade de se espalhar de pessoa para pessoa, as autoridades de saúde pública estão monitorando de perto a situação da vaca leiteira como parte dos esforços gerais de preparação para a pandemia.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER