A atuação envolve cinco cooperativas filiadas - Copagril, Lar, Copacol, C.Vale e Primato e mais de três mil produtores de suínos e leite integrados.
Frimesa
Números foram apresentadas em Assembleia no dia 22 de fevereiro
A Frimesa, em conjunto com seus colaboradores, cooperativas filiadas e produtores, superou 2023, um ano extraordinariamente desafiador.

“Vencer as adversidades exigiu muito trabalho. Aumentamos consideravelmente os volumes produção que sustentam as cadeias produtivas”, relata o presidente-executivo, Elias José Zydek. Os números do exercício de 2023 foram apresentados e aprovados em Assembleia Geral Ordinária realizada no dia 22 de fevereiro, na Sede da Cooperativa.

Quanto aos resultados econômico-financeiros, o faturamento bruto alçançou os R$ 6,119 bilhões, R$ 613 milhões a mais comparado a 2022. As sobras do exercício totalizaram de R$ 36,4 milhões, sendo 18% menores. Zydek afirma que mesmo abaixo da expectativa, o balanço foi fechado com saldo positivo. “Com a venda de produtos de valor agregado, aumentamos o faturamento em 11%”, completa. A operação nas fábricas de carnes e lácteos cresceu em 15,5%, totalizando quase 500 mil toneladas de alimentos produzidos.

A atuação envolve cinco cooperativas filiadas – Copagril, Lar, Copacol, C.Vale e Primato e mais de três mil produtores de suínos e leite integrados. Foram cerca de 70 pessoas que acompanharam a prestação de contas e relatório da gestão do último ano, entre conselhos de administração e fiscal, auditoria, delegados das cooperativas filiadas, gestores da Central e imprensa.

Durante o evento também foi empossado o novo Conselho Fiscal da cooperativa para atuação em 2024. Os membros são:

– Marcelo Tracz – Efetivo – Primato
– Claudinei Hafemann – Efetivo – C.Vale
– Andriano José Finger – Efetivo – Lar
– Elias Garcia – Suplente – Primato
– Gilberto Francisco Hernandes – Suplente – Copacol
– Vilmar Fulber – Suplente – Copagril

Veja mais números:

No último ano também deu-se início à operação da maior planta frigorífica da América Latina, localizada em Assis Chateaubriand – UFA, no Oeste do Paraná, em março, mais um desafio ao ser implementado. O que colaborou para o aumento da produção de carne suína. Em 2023, o abate total de suínos nas três plantas industriais (Medianeira, Marechal Cândido Rondon e Assis Chateuabriand) cresceu 25,3% e atingiu 2,959 milhões de cabeças. Consequentemente, a industrialização de subiu 18,3% e atingiu 351,4 mil toneladas de produtos.

Na Frimesa, o quilo do suíno vivo chegou a R$ 6,51, valor pago ao produtor. “Esse fator contribuiu para a sustentabilidade dos negócios da Frimesa. A cooperativa tem um papel social, que é de viabilizar o produtor e as famílias no campo, e os colaboradores. São quase 25 mil pessoas influenciadas por nossa atividade,” afirma Zydek. Na suinocultura foram 1.083 produtores integrados em 2023.

A atividade de leite enfrentou desafios em 2023, o principal foram as importações da matéria-prima em pó do Mercosul, resultando em um desequilíbrio na competitividade. Os números do setor mostram queda custos de produção, o que também contribui para a redução dos preços no varejo.

A Frimesa recebeu 715,6 milhões de litros de leite para processamento industrial, volume 4,7% abaixo do ano anterior, o que gerou 143 mil toneladas de industrializados (sendo aumento de 9%), entre leite longa vida, queijos, doces de leite, leite condensado, iogurtes, creme de leite, requeijão, entre outros. Essa matéria-prima foi fornecida por 2.137 produtores rurais principalmente da região Oeste do Paraná.

O resultado de 2023 mostra atuação no varejo brasileiro. Para o mercado interno, foram direcionados 82,5% do volume de vendas em parceria com 48.400 clientes ativos. Esse êxito é suportado por portfólio de 510 produtos. Todas as atividades econômicas da Frimesa resultam na manutenção de milhares de famílias no campo e mais uma equipe de 12.467 colabordores, um aumento de 27,37% nas pessoas que compõem o quadro de empregados diretos, com destaque para as mulheres que já representam 50%. No contexto ambiental, a Frimesa desenvolve ações de sustentabilidade para valorizar a cadeia produtiva. O investimento na manutenção dos sistemas chegou a R$ 25,9 milhões no ano passado.

Sobre a Frimesa

A Frimesa Cooperativa Central é uma empresa brasileira, fundada em 13 de dezembro de 1977, em Francisco Beltrão, Paraná para industrialização de carne suína e leite. A sede fica em Medianeira, no oeste paranaense. É composta por cinco cooperativas filiadas (Copagril, Lar, C.Vale, Copacol e Primato).

É a 1ª maior empresa paranaense de abate e processamento de suínos e em 2023 esteve entre as 10 maiores empresas do Brasil de recebimento de leite. Atualmente conta com 6 unidades industriais, e atua em todo o mercado nacional e internacional, exportando para aproximadamente 30 países.

São mais de 12 mil colaboradores. No ranking das maiores empresas do agronegócio Brasil, segundo a Revista Globo Rural, ocupa o 78º lugar, e entre as empresas do agronegócio na região sul está em 23º lugar. É a primeira cooperativa a anunciar publicamente compromissos ESG para um futuro mais sustentável.

Veja também

Embora o vírus até agora não tenha mostrado nenhuma evidência genética de adquirir a capacidade de se espalhar de pessoa para pessoa, as autoridades de saúde pública estão monitorando de perto a situação da vaca leiteira como parte dos esforços gerais de preparação para a pandemia.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER