Beber leite de outro animal é algo incomum na natureza. Na verdade, a maioria das pessoas é intolerante à lactose. Então, por que os seres humanos começaram a beber leite de vaca há cerca de 9000 anos? Sorvete, manteiga, iogurte, queijo ou um copo de leite.
leite
"O consumo de leite animal é uma prática antiga que desempenhou um papel fundamental na evolução cultural e genética da humanidade"
Os laticínios são uma parte essencial de nossa dieta. Mas, como sugere o aparecimento de produtos como o sorvete de coco, da manteiga de caju e do iogurte de aveia, algumas pessoas optam por não beber leite de vaca, e outras simplesmente não conseguem digeri-lo bem.

No passado antigo, nossos ancestrais, como todos os mamíferos, não conseguiam digerir o leite após a infância – e, ainda hoje, estima-se que 68% da população humana global seja intolerante à lactose. O verdadeiro mistério é por que algumas pessoas bebem leite.

Não é misterioso o motivo de querermos fazê-lo. Beber leite traz muitos benefícios, especialmente quando os alimentos são escassos. Os rebanhos de ovelhas, cabras e gado bovino são uma fonte móvel e renovável de nutrição e de líquido limpo e potável, capaz de prosperar em ambientes onde os seres humanos não conseguem.

As primeiras evidências do consumo de leite animal datam de quase 9000 anos atrás, na atual Turquia, perto do mar de Mármara, onde gorduras do leite foram encontradas em antigos fragmentos de cerâmica. Richard Evershed, biogeoquímico da Universidade de Bristol, Reino Unido, diz que sua equipe encontrou evidências de leite até mesmo nos potes mais antigos já descobertos.

Nas primeiras comunidades assentadas, como a proto-cidade de Çatalhöyük, na Turquia moderna, o leite teria sido parte de uma dieta diversificada. O leite parece ter sido um dos principais alimentos para os antigos pastores, um modo de vida móvel construído em torno de rebanhos de ovelhas, cabras e gado.

jornal cedro img 10 5

Desde suas origens onde hoje é a atual Turquia, a tecnologia de produção de leite, bem como os próprios pastores, espalharam-se pelo Cáucaso e depois pela Europa. Na Idade do Bronze, há cerca de 3000 anos, as pessoas podem ter usado leite de vaca para desmamar seus bebês.

Enquanto isso, na vasta estepe eurasiática, o pastoreio nômade com ovelhas, cabras, cavalos, camelos, iaques e até renas tornou-se a espinha dorsal de uma sucessão de impérios pastoris. Os pesquisadores encontraram evidências de que os laticínios eram o combustível dessas sociedades.

Durante muito tempo, os pesquisadores acreditaram que o consumo de leite evoluiu como uma prática cultural, assim como a disseminação de mutações genéticas que permitiam que as pessoas tolerassem o leite até a idade adulta. Na Europa e no leste da África, várias mutações genéticas diferentes que permitiam aos adultos quebrar a lactose, o açúcar presente no leite, tornaram-se algumas das características mais fortemente selecionadas no genoma humano.

O consumo de leite animal é uma prática antiga que desempenhou um papel fundamental na evolução cultural e genética da humanidade. Desde suas origens na antiguidade até sua disseminação global, o leite tem sido uma fonte de nutrição e uma parte essencial de muitas culturas ao redor do mundo.

Ainda que muitos sejam intolerantes à lactose, a história do consumo de leite revela uma complexa interação entre fatores culturais, genéticos e ambientais. A compreensão desses fatores pode lançar luz sobre nossa relação com os alimentos e até mesmo sobre a evolução de nossa própria espécie.

Veja também

Embora o vírus até agora não tenha mostrado nenhuma evidência genética de adquirir a capacidade de se espalhar de pessoa para pessoa, as autoridades de saúde pública estão monitorando de perto a situação da vaca leiteira como parte dos esforços gerais de preparação para a pandemia.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER