Empresas de Goiás têm se juntado à corrente de solidariedade para ajudar as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul (RS).
Río Grande do Sul. Rio Guaíba após chuvas intensas na região da Usina do Gasômetro, cartão-postal de Porto Alegre - Foto: Gilvan Rocha/Agência Brasil
Rio Guaíba após chuvas intensas na região da Usina do Gasômetro, cartão-postal de Porto Alegre - Foto: Gilvan Rocha/Agência Brasil
Empresas de Goiás têm se juntado à corrente de solidariedade para ajudar as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul (RS).

A Jalles, agroindústria do setor sucroenergético, doou 40 toneladas de açúcar e macarrão e 30 mil litros de álcool 70 para uso hospitalar. Enquanto isso, o Grupo Piracanjuba entregou 50 toneladas de produtos, entre leite e bebida láctea, diretamente para instituições locais.

Em comunicado à imprensa, a companhia de lácteos goiana, que conta com unidades fabris e de operação no RS, destacou que tem prestado apoio aos seus colaboradores e familiares. “A empresa também está em contato com os produtores de leite das regiões afetadas, com o objetivo de prestar assistência necessária”, revelou o informe da Piracanjuba.

A Jalles está recolhendo, em suas unidades de Goianésia (GO) e Santa Vitória (MG), doações como cestas básicas, produtos de higiene pessoal, água, roupas de cama e de banho, roupas em geral, calçados e ração para pets. As arrecadações seguem até amanhã (10). “Todos estamos vendo o que está acontecendo no Rio Grande do Sul e é hora de nos unirmos para ajudar. A Jalles está fazendo doações e eu convido a cada colaborador e suas famílias para também contribuir. Juntos podemos ajudar quem está precisando tanto do nosso apoio neste momento!”, ressalta o diretor-presidente, Otávio Lage de Siqueira Filho.

Veja também

“Diga-me o que você come e eu lhe direi quem você é”, do gastrônomo e jurista francês Brillat-Savarin, e “Nós somos o que comemos”, do

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Australia

Don’t cry for me Australia: como os laticínios da Austrália estão seguindo os passos da Argentina

O Brasil, em 2022, atingiu 885.000 toneladas métricas entre vários tipos de queijos tropicais e europeus.

Dados saborosos sobre o consumo e a produção de queijo em todo o mundo, que vão dar água na boca

Publicidade

Publicidade em tempos de crise: a estratégia que pode fazer a diferença entre o sucesso e a sobrevivência do seu negócio de laticínios

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER