Bancada do Oeste estará presente no dia 04 de março em Pinhalzinho
"O "Laboratório do leite" tem como público-alvo os produtores de leite e as indústrias de lácteos e como principal objetivo a realização das análises para avaliação da qualidade do leite de acordo com as exigências da legislação vigente."
A Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) vai inaugurar o novo Núcleo de Tecnologia e Inovação do Leite, conhecido popularmente como Laboratório do Leite, no dia 04 de março, em Pinhalzinho. Os deputados da Bancada do Oeste estarão presentes no evento.

O Laboratório do Leite será um marco na pesquisa e desenvolvimento da área leiteira. Com um investimento de R$ 30 milhões, a estrutura de 3 andares abrigará um laboratório de qualidade do leite e uma indústria de lácteos, tornando-se um centro de referência para toda a cadeia produtiva do leite na região.

De acordo com o reitor da Udesc, Dilmar Baretta, as instalações só estão sendo inauguradas por causa dos deputados da Bancada do Oeste. “A Bancada do Oeste é parceira deste projeto que vai ajudar Santa Catarina a se desenvolver ainda mais”, comentou o reitor.

O prefeito de Pinhalzinho, Mario Afonso Woitexem, explicou: “Santa Catarina é o quarto produtor de leite do país, o que faz com que Pinhalzinho se torne um dos municípios com maior capacidade produtiva de leite”.

O que será possível com a construção do Laboratório?

O NCTI compreende três segmentos:

  • Laboratório de Qualidade do Leite
  • Indústria de Lácteos em Escala Piloto
  • Laboratório de Pesquisa e Inovação do Leite

O “Laboratório do leite” tem como público-alvo os produtores de leite e as indústrias de lácteos e como principal objetivo a realização das análises para avaliação da qualidade do leite de acordo com as exigências da legislação vigente.

Este laboratório deverá ser credenciado na Rede Brasileira da Qualidade do Leite (RBQL)/Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

A “Indústria de Lácteos em Escala Piloto” tem como público-alvo os produtores de leite, as indústrias de lácteos e estudantes dos cursos da Udesc Oeste. Os principais objetivos são:

  • Cursos/treinamentos para qualificação e aperfeiçoamento da mão de obra;
  • Oficinas para a inovação e diversificação de produtos lácteos;
  • Otimização de processos para o setor de lácteos

O “Laboratório de Pesquisa e Inovação do Leite” tem como público-alvo os produtores de leite, as indústrias de lácteos e estudantes dos cursos da Udesc Oeste. Os principais objetivos são:

  • Realização de pesquisa aplicadas ao setor lácteo;
  • Soluções para as necessidades do setor lácteo
  • Este laboratório irá dispor de equipamentos de alta tecnologia que possibilitarão o estudo de componentes, produtos e processos, atendendo a toda cadeia e arranjo produtivo do leite com qualidade.

Leite em SC

Santa Catarina desbancou Goiás e já é o quarto maior produtor de leite do país. Com um volume de 2,43 bilhões de litros recolhidos pelas indústrias catarinense contra 2,13 bilhões de litros de Goiás.

Esse volume não leva em conta o leite produzido e consumido nas propriedades, que é em torno de 25% do total.

A atividade é a nova “estrela” do agronegócio, que envolve 70 mil famílias e gera milhares de empregos no campo, serviços, transporte e indústria.

Com apenas 1,2% do território, Santa Catarina representa 10,5% da produção nacional. Os motivos são clima favorável para implantação de pastagens e abundância de água. O solo propício e a mão-de-obra familiar contribuem para o sucesso da atividade.

O projeto consolida a Rota de Integração do Leite na faixa de fronteira de SC, onde estão 82 municípios que respondem por 78% da produção estadual.

Pinhalzinho

Pinhalzinho vai processar 5 milhões de litros de leite por dia, nenhum outro município brasileiro terá esta capacidade.

A Aurora já processa 2,6 milhões de litros/dia e a Tirol está ampliando as instalações para processar 1,4 milhões de litros/dia.

Veja também

A Danone afirma que está vendo um aumento na demanda por seus iogurtes de alta proteína e baixa caloria nos EUA, que atribui à febre pelos novos tratamentos estreitamente relacionados ao medicamento para diabetes Ozempic.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER