A manteiga não é apenas para cozinhar e dar textura e sabor aos alimentos. A Rainha Manteiga está em todo o lado que se procura na história e na vida de pessoas de todo o mundo.
manteiga
O mercado mundial da manteiga tem um grande número de intervenientes a competir pela quota de mercado internacional.

A manteiga, é uma emulsão mais ou menos sólida, o produto da batedura, amassadura e lavagem das gorduras do leite, que pode ser amadurecida biologicamente por bactérias lácticas específicas.

A batedura da nata, provoca a quebra das membranas da gordura, permitindo a sua junção numa massa: para obter 1 kg de manteiga, precisamos de mais de 20 litros de leite.

A manteiga é rica em vitamina A, contém vitamina D e vitamina E. Tem mais de 730 kcal por 100 g. e 63 % de ácidos gordos saturados, 26 % de ácidos gordos mono-insaturados e 3,7 % de ácidos gordos poli-insaturados. Também contém colesterol, algumas proteínas e água.

Com torrada ao café da manhã, com milo verde na praia, “pipoca” no cinema, e derretida com mel à noite para acalmar uma dor de garganta no Brasil.

Na medicina ayurvédica e cosmética tradicional, o ghee, como a sua manteiga é chamada, tem propriedades medicinais e é utilizado como lubrificante natural na prática de massagem e yoga na Índia, onde é produzida e consumida mais manteiga do que em qualquer outra nação do mundo, dedicando quase metade da sua produção de leite ao seu fabrico.

Em termos de consumo, a Alemanha está atrás apenas da Índia, seguida da França, Rússia e Estados Unidos, onde a manteiga é utilizada na massa de biscoitos, e para evitar que os biscoitos se colem. Para remover um anel apertado ou acalmar uma queimadura.

Na Argentina sabemos que está na massa de croissants, como alternativa aos óleos vegetais, e em cremes e loções para o cuidado da pele e do cabelo, no creme de moka que preenche o bolo de aniversário preferido da minha mãe, em locro e puré de batata.

A manteiga está na preparação de pratos tradicionais australianos e neozelandeses, tais como rosbife, peixe e batatas fritas.

Existem diferentes variedades de manteiga em todo o mundo. Os smen em Marrocos, as manteigas de leite de yak são muito importantes no Tibete e nas regiões dos Himalaias, Butão, Nepal e Índia, como mencionado acima. Em África e na Ásia, onde é tradicional fazê-lo com leite azedo em vez de nata.

A manteiga tem utilizações inimagináveis em diferentes indústrias, como a têxtil e a automóvel, pelas suas propriedades lubrificantes, emulsificantes, hidratantes e amaciantes.

A manteiga é utilizada na produção de alguns produtos de carne: para melhorar o sabor e a textura de alguns produtos, tais como salsichas e presunto. E é um ingrediente comum na indústria farmacêutica como excipiente e para tratar problemas respiratórios e dores articulares.

O mercado mundial da manteiga tem um grande número de intervenientes a competir pela quota de mercado internacional. Algumas das principais empresas que operam no mercado são Fonterra Co-operative Group, Arla Foods, Dairy Farmers of America, Cropp co-oporative, Gujarat Cooperative Milk Marketing Federation (GCMMF), Ornua e outras.

Arte em manteiga

As primeiras esculturas de manteiga apareceram1536 e ainda no início do século XXI muito populares em feiras agrícolas, banquetes e restaurantes.

Os registos mais antigos de esculturas de manteiga encontram-se na Europa, onde foram colocados em mesas de banquete. As primeiras peças da era moderna como forma de arte pública datam da década de 1870 nos Estados Unidos, e foram criadas por Caroline Shawk Brooks, uma mulher agricultora de Helena, Arkansas.

Iolanthe soñando, por Caroline Shawk Brooks, muestra a Yolanda de Anjou, la heroína de la obra de Henrik Hertz La hija del rey René. Este destacado trabajo de 1876 despertó el interés popular por la escultura de manteca como una forma de arte pública. La fuente se mantenía refrigerada mediante hielo ubicado en su fondo.

“The Dreaming Iolanthe”, personagem da peça “A Filha do Rei René” (Kong Renes Datter) do poeta e dramaturgo dinamarquês Henrik Hertz (1797-1870)

 

As primeiras peças da era moderna como forma de arte pública datam da década de 1870 nos Estados Unidos, e foram criadas por Caroline Shawk Brooks, uma mulher agricultora de Helena, Arkansas.

Comer lacticínios é bom para si, e neste artigo descobrimos mais algumas coisas sobre este alimento incrível, obrigatório nos nossos frigoríficos.

Antes de nos despedirmos até à próxima vez, quero saber: Já bebeu o seu copo de leite hoje?

 

Valeria Guzmán Hamann

EDAIRYNEWS

 

 

Leia também: Vitamina B12, e por que não há uma forma natural de vegan – eDairyNews-BR ??✨

Veja também

Os produtores de leite no Brasil enfrentam incertezas com os preços em baixa e as importações. Na análise do secretário-executivo do Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul, Darlan Palharini, a recuperação da cadeia produtiva vai depender da melhoria nos custos de produção.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER