Setor alimentício será o mais castigado no Brasil com este evento no Rio Grande do Sul; Comércio, Serviços, Industria, Agronegócio e Turismo também não sairão ilesos, segundo análise da FecomercioSP.
Brasil. Setor alimentício deve ser o mais afetado com as chuvas no RS / Reprodução
Setor alimentício deve ser o mais afetado com as chuvas no RS / Reprodução

Brasil | As fortes chuvas no Estado do Rio Grande do Sul impactarão não só a região como o país inteiro. Além do alto número de mortos (147), o preço dos alimentos também deve aumentar à medida em que a quantidade deve cair.

Em contato com a Gazeta, a FecomercioSP tentou mapear as consequências das fortes chuvas no estado gaúcho apontando alguns dos setores que devem ser afetados.

O que diz a FecomercioSP

O estado gaúcho é responsável por uma parcela considerável na produção alimentícia no país. Arroz, leite, frutas e hortaliças são os produtos de destaque que sofrerão algumas mudanças a respeito de preço e disponibilidade.

  • Arroz: Rio Grande do Sul é responsável por 70% de sua produção no país e, mesmo com 80% da safra colhida, não há como distribuir o alimento.
  • Criação de gado e leite: fortes chuvas ocasionaram na perda de vacas e pasto. Além disso, as sobreviventes farão uso de água sem qualidade, interferindo na qualidade do alimento.
  • Frutas: em especial uva, pêssego e maçã passam pelos mesmos problemas do arroz, sem alternativas para escoamento do produto, além da perda de parte da produção. Rodovias interditadas e caminhões sendo utilizados para ajudar os necessitados.
  • Hortaliças: falta de estoques por algumas semanas.

Além da alimentação

Ainda com problemas no escoamento de produtos, o setor industrial sofrerá com a falta de suprimentos em todo o país e isso refletirá, futuramente, na alta demanda para reposição dos maquinários afetados pela tragédia.

Além disso, o Turismo deve ser impactado com a inundação do Aeroporto Internacional Salgado Filho, de Porto Alegre, responsável por 3% dos passageiros no Brasil, segundo análise da FecomercioSP.

Redução do PIB

O desastre em Brumadinho, Minas Gerais, registrou 272 mortes e provocou uma queda de 0,2% no Produto Interno Bruto nacional, ou seja, mais de R$ 20 bilhões em valores atuais.

A partir desta análise, a FecomercioSP deduz que a tragédia no Estado do Rio Grande do Sul deve afetar mais ainda o PIB do Brasil, já que se trata de uma região com maior população e maior importância econômica no cenário nacional.

 

Senior man manager in supermarket (stock control)

Veja também

“Diga-me o que você come e eu lhe direi quem você é”, do gastrônomo e jurista francês Brillat-Savarin, e “Nós somos o que comemos”, do

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Australia

Don’t cry for me Australia: como os laticínios da Austrália estão seguindo os passos da Argentina

O Brasil, em 2022, atingiu 885.000 toneladas métricas entre vários tipos de queijos tropicais e europeus.

Dados saborosos sobre o consumo e a produção de queijo em todo o mundo, que vão dar água na boca

Publicidade

Publicidade em tempos de crise: a estratégia que pode fazer a diferença entre o sucesso e a sobrevivência do seu negócio de laticínios

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER