O proprietário do laticínio La Serenísima acredita que as medidas do presidente podem reverter a recessão no consumo doméstico. Seus resultados para o primeiro trimestre.
laticinio Trata-se da Mastellone, proprietária da marca La Serenísima (já que possui 51% de suas ações), e que conta com a participação do grupo cordobês Arcor (que comprou 49% de sua participação acionária).
Trata-se da Mastellone, proprietária da marca La Serenísima (já que possui 51% de suas ações), e que conta com a participação do grupo cordobês Arcor (que comprou 49% de sua participação acionária).
Enquanto a crise da SanCor se aprofunda, ameaçando levar ao desmantelamento da cooperativa de laticínios e ameaçando suas operações futuras, seu principal concorrente continua a implementar um forte plano de reestruturação de suas operações que está lhe permitindo reverter as crises financeiras do passado e oferecer aos seus acionistas fortes lucros.

Por exemplo, no primeiro trimestre deste ano, ela reduziu o vermelho que sofreu no mesmo período de 2023, que foi de US$ 1.781 milhões, para um lucro de US$ 29.960 milhões, o que lhe permite estabilizar suas atividades e analisar estratégias de expansão com seus acionistas majoritários.

Trata-se da Mastellone, proprietária da marca La Serenísima (já que possui 51% de suas ações), e que conta com a participação do grupo cordobês Arcor (que comprou 49% de sua participação acionária).

A Mastellone apresentou um resultado positivo no primeiro trimestre

A empresa tem um nível de qualidade de crédito acima da média em comparação com outras empresas locais do setor de laticínios, ao mesmo tempo em que tem maior capacidade de pagar suas obrigações de dívida sênior sem garantia de curto prazo.

Nesse sentido, o conselho de administração da empresa enviou um documento à Comissão Nacional de Valores Mobiliários (CNV), explicando que as demonstrações financeiras do primeiro trimestre mostram um resultado positivo.

“Isso se deve principalmente ao ganho gerado no item de diferenças de câmbio, porque a avaliação em pesos de ativos e passivos em moeda estrangeira foi ajustada por uma taxa de câmbio significativamente menor do que a taxa de inflação do período”, afirma o relatório.

La empresa Mastellone, dueña de La Serenísima, apuesta a recuperar el consumo local en los próximos meses

 

A empresa Mastellone, proprietária do La Serenísima, está apostando na recuperação do consumo local nos próximos meses.

Ou seja, seu lucro foi resultado da revalorização do dólar em relação à moeda local e não do aumento das vendas, já que o mercado interno está em recessão há pelo menos um ano devido à queda acentuada do poder aquisitivo e às mudanças nos hábitos de compra dos consumidores, que optam por marcas mais baratas.

Nesse contexto, os resultados operacionais da empresa apresentaram uma evolução positiva em relação ao mesmo período do ano anterior, que se baseia principalmente no aumento da lucratividade das operações de comércio exterior.

Isso significa que, após a recessão no mercado doméstico, a Mastellone concentrou seus esforços no crescimento internacional, liderando as exportações de leite em pó, além de ter uma presença significativa nos mercados regionais, principalmente Brasil, Paraguai, Bolívia, Peru e Uruguai, e também em outros mercados estrangeiros, como Argélia e China.

Nesse sentido, o jornal aponta que, embora tenha conseguido manter suas margens de contribuição durante o período, o forte aumento nos custos de produção “teve seu correlato e consequência em nossos preços e no comportamento do volume de nossas vendas domésticas, respectivamente”.

A empresa confia em Javier Milei e espera uma recuperação no consumo

Esse aumento nos custos se deveu ao que Mastellone descreve como uma recomposição necessária e importante dos preços do leite cru, seu principal insumo, depois de um 2023 afetado pela falta de forragem e pelo aumento dos preços do milho e da soja, devido à seca, e pela forte desvalorização do peso durante o segundo semestre do ano.

Esse cenário levou a uma queda significativa na produção em nível nacional no período de verão/outono de 2024.

La empresa confía en el plan de Javier
A empresa está confiante no plano de Javier e espera que a recuperação seja “gradual”.

 

A queda nos volumes de vendas estava de acordo com o comportamento geral das categorias mais relevantes de consumo de massa, que Mastellone espera que seja revertida como resultado das medidas econômicas “necessárias” implementadas pelo novo governo para equilibrar as contas públicas, cortar a emissão monetária e aumentar as reservas.

Seus executivos argumentam que as mudanças implementadas pela administração nacional liderada por Javier Milei tiveram um forte impacto sobre a atividade econômica e os níveis de consumo.

“É de se esperar que a recuperação seja gradual até o fim do ano. A sazonalidade do ciclo biológico, combinada com uma previsão climática mais benigna e custos estáveis, prevêem um aumento na produção de leite nos meses de inverno e primavera, em nível nacional”, entusiasma-se Mastellone.

Na verdade, o relatório argumenta que o processo de estabilização das variáveis econômicas “será muito positivo para dar previsibilidade e, portanto, crescimento ao nosso setor”.

Foco nas prateleiras

Nesse contexto, o foco de Mastellone será “no mercado doméstico, contando com nossos pontos fortes associados às nossas marcas e à qualidade e variedade dos produtos, já que a lucratividade do mercado de exportação dependerá de dois fatores principais: os preços internacionais, particularmente os do Brasil, o principal destino de nosso volume, e as taxas de câmbio do peso e do real em relação ao dólar”.

Em março passado, um relatório da Moody’s Argentina, subsidiária de um dos principais avaliadores de risco globais, classificou a empresa de alimentos fundada por Pascual Mastellone com “A.ar e “ML A-1.ar, ambos positivos e refletindo sua capacidade de enfrentar seu endividamento.

 

La empresa

 

Um relatório da Moody’s Argentina disse que o perfil de crédito da empresa proprietária do La Serenísima “é sustentado por sua forte posição no mercado”.
Também argumenta que o perfil de crédito da Mastellone “é apoiado por sua forte posição no mercado, forte reconhecimento da marca, boa diversificação geográfica e de produtos, vínculos estratégicos com parceiros importantes e sólidos níveis de liquidez”.

Um setor com baixa lucratividade

No entanto, adverte que o rating é limitado pelo alto risco de descasamento de moedas, pela exposição a riscos regulatórios e por um setor altamente competitivo, resultando em margens de lucratividade voláteis e mais baixas em comparação com outras empresas classificadas e com o setor.

Também observa que a Mastellone apresenta baixos níveis de lucratividade ao longo do ciclo, medidos em termos de EBITDA, em comparação com outras empresas classificadas.

Da mesma forma, lembra que seus lucros vêm diminuindo “como resultado da queda nos níveis de consumo em massa de alimentos e, particularmente, de produtos lácteos, dos altos níveis de inflação, do atraso na taxa de câmbio e da queda nos preços internacionais que tiveram um impacto negativo nas exportações, bem como das condições climáticas desfavoráveis da campanha agrícola que afetaram a produção”.

A proprietária da La Serenísima tem margens de lucratividade mais baixas em comparação com outras empresas classificadas, diz a Moody’s em seu documento, no qual considera que a empresa “tem uma estrutura de capital adequada que limita os riscos de refinanciamento no curto prazo”.

No entanto, a agência de classificação de risco espera que as métricas de lucratividade e o fluxo de caixa da empresa de laticínios continuem a enfraquecer nos próximos meses, afetados negativamente por um mercado fraco, particularmente no segmento de consumo de massa, em um contexto de alta inflação e aumento de preços.

Apostando em suas marcas fortes

Para o avaliador, a Mastellone tem uma posição de marca forte que é líder no mercado local, é a maior compradora de leite cru na Argentina e tem uma ampla rede de distribuição com presença em todo o país.

Também tem um alto poder de barganha sobre os preços; boa diversificação geográfica e de produtos; fortes vínculos estratégicos com seus principais parceiros, a Arcor e o Grupo Danone, que fornecem apoio por meio de sinergias em operações e acordos para comercializar e distribuir produtos em países da região.

Em todo caso, a empresa, proprietária da La Serenísima, alerta para certas fraquezas de crédito, como sua exposição ao risco regulatório; alto risco de descasamento de moedas, parcialmente mitigado por uma geração em moeda estrangeira de aproximadamente 20% do total de vendas por meio de suas receitas de exportação e vendas de subsidiárias no exterior. Além disso, acrescenta margens de lucratividade mais baixas em comparação com outras empresas classificadas.

Veja também

Embora o vírus até agora não tenha mostrado nenhuma evidência genética de adquirir a capacidade de se espalhar de pessoa para pessoa, as autoridades de saúde pública estão monitorando de perto a situação da vaca leiteira como parte dos esforços gerais de preparação para a pandemia.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER