A Nestlé, empresa que concorre ao Prêmio Consumidor Moderno 2024, demonstra como uso de IA, robótica autônoma e outras tecnologias otimizam processos e trazem mais eficiência, segurança e qualidade.
A Nestlé Brasil é uma companhia que vem acelerando a indústria 4.0 no Brasil com investimentos em iniciativas para conectar, monitorar e extrair dados em tempo real das cerca de 300 linhas de produção que operam em 14 fábricas da empresa espalhadas pelo país.
A Nestlé Brasil é uma companhia que vem acelerando a indústria 4.0 no Brasil com investimentos em iniciativas para conectar, monitorar e extrair dados em tempo real das cerca de 300 linhas de produção que operam em 14 fábricas da empresa espalhadas pelo país.

Em diversas indústrias a busca por operações fabris mais ágeis, econômicas e de melhores resultados tem sido alcançada por meio de grandes investimentos em tecnologia. É o que conhecemos como indústria 4.0. Além dessas características, o modelo preza pelo cuidado ambiental e acesso em tempo real às informações da linha de produção via plataformas digitais amigáveis.

Nestlé Brasil é uma companhia que vem acelerando a indústria 4.0 no Brasil com investimentos em iniciativas para conectar, monitorar e extrair dados em tempo real das cerca de 300 linhas de produção que operam em 14 fábricas da empresa espalhadas pelo país.

A companhia parte da premissa de que, quanto mais informações coletadas e depuradas de maneira customizada nesse ecossistema tecnológico, maiores as chances de obter mais eficiência, mais segurança, mais qualidade e mais inovação – tanto de processos, como de produtos. Para se ter uma ideia, a expectativa da Nestlé é atingir cerca de 90% do parque fabril brasileiro conectado até o final deste ano.

Tecnologia para identificar novos padrões e oportunidades

Atualmente são mais de 24.000 instrumentos instalados nas linhas de produção da Nestlé (como sensores de diversos tipos, transmissores de pressão, câmeras com diferentes funcionalidades, entre outros), que produzem um alto volume de dados tratados e transformados por softwares robustos e customizados para análise de informações, como a quantidade de energia utilizada no dia ou no mês e a comparação com períodos anteriores.

Tecnologias como Data Analytics e Inteligência Artificial realizam as correlações mais complexas dos dados para identificar padrões de funcionamento de equipamentos, por exemplo, gerando insights, como predições de manutenção preventiva a partir da previsão de falha de uma peça, por exemplo.

Neste ponto, a Nestlé afirma que as tecnologias já são capazes de ajustar automaticamente certos controles de automação, isso significa que o equipamento pode realizar suas configurações por conta própria, antecipando-se a oscilações de processo com base em modelos de inteligência artificial.

Na prática, isso significa que a empresa tem as informações mais importantes sobre o desempenho e o funcionamento de cada linha conectada. E tudo em tempo real e formato amigável, para que todas as pessoas envolvidas na operação – da área de gestão à linha operacional – visualizem e tomem rapidamente as melhores decisões.

A conectividade, segundo a Nestlé, não só permite mostrar quantas unidades de um determinado produto foram produzidas e se estão dentro do tempo planejado, mas também disponibiliza dados que são necessários para a construção de modelos preditivos para alterações no comportamento da linha, antecipando respostas e indicando causas prováveis.

Já a transformação digital das fábricas envolve a implementação de diversas camadas de tecnologia e um cuidadoso planejamento para orientar os resultados potenciais que cada projeto pode oferecer ao negócio.

 

Profissionais da Nestlé Brasil na linha de produção. Companhia espera atingir cerca de 90% do parque fabril brasileiro conectado até o final deste ano (foto: Divulgação Nestlé)
Profissionais da Nestlé Brasil na linha de produção. Companhia espera atingir cerca de 90% do parque fabril brasileiro conectado até o final deste ano (foto: Divulgação Nestlé)

A redefinição do trabalho

Essa jornada está redefinindo como as pessoas trabalham dentro da Nestlé, além de aumentar a eficiência e retroalimentar a inovação em todo o espectro da operação brasileira – que encerrou 2023 como a terceira maior em vendas da companhia pelo segundo ano seguido, atrás apenas dos Estados Unidos e da China.

“Os esforços da Nestlé Brasil para inovar e avançar com a digitalização do parque produtivo geraram resultados notáveis, como a redução de 30% das paradas não planejadas nas linhas de produção em 2023, na comparação com 2019. Uma parada inesperada implica em perdas, tempo ocioso e, consequentemente compromete a produtividade”, afirma Gustavo Moura, gerente executivo de Automação e Transformação Digital da Nestlé.

O executivo explica ainda que houve um aumento de 23% da flexibilidade das linhas de produção (de 2019 para 2023) – para que uma mesma linha possa produzir formatos diferentes de produtos sem impactar o planejamento de parada. Aqui, é preciso detalhar que, para mudar o produto de uma linha, é necessário parar a produção em andamento, realizar limpezas, alterar formatos de máquinas e matérias-primas, para, só depois, retomar a atividade. Em 2023, houve, portanto, quase um quarto a mais de trocas de formatos nas linhas da Nestlé Brasil, na comparação com 2021.

Com todo esse movimento, a Nestlé possibilita a entrada de novos produtos para atender à crescente demanda dos consumidores por variedade e novidades sem que haja impacto na eficiência da operação. As automações industriais da companhia permitiram reduzir o tempo de troca de formatos e uso de IA vem auxiliando para determinar o melhor momento para parar uma linha para limpeza, por exemplo.

Por fim, a Nestlé informa que já foi detectado aumento de produtividade de 7% na média das fábricas localizadas no Brasil, desde 2019. Uma verdadeira (re) evolução industrial da Nestlé Brasil com mais resultados e mais qualidade.

Prêmio Consumidor Moderno 2024

A Nestlé é uma das empresas que concorrem ao Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente deste ano. A premiação chega à sua 25ª edição para celebrar e prestigiar as empresas brasileiras referências em atendimento ao consumidor. No dia 25 de junho, em São Paulo, pequenas, médias e grandes empresas se reunirão em uma grande festa para fortalecer o ecossistema de Experiência do Cliente no país. Os vencedores são definidos por meio de um estudo analisado pela CX Brain, unidade de serviços de inteligência de dados ligada à Consumidor Moderno, e aplicação da metodologia Cliente Oculto junto com a empresa OnYou.

Veja também

“Diga-me o que você come e eu lhe direi quem você é”, do gastrônomo e jurista francês Brillat-Savarin, e “Nós somos o que comemos”, do

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Australia

Don’t cry for me Australia: como os laticínios da Austrália estão seguindo os passos da Argentina

O Brasil, em 2022, atingiu 885.000 toneladas métricas entre vários tipos de queijos tropicais e europeus.

Dados saborosos sobre o consumo e a produção de queijo em todo o mundo, que vão dar água na boca

Publicidade

Publicidade em tempos de crise: a estratégia que pode fazer a diferença entre o sucesso e a sobrevivência do seu negócio de laticínios

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER