O controle de qualidade do leite e seus derivados abrangem, desde a defesa sanitária do rebanho às condições de controle e das análises laboratoriais.
O presidente da Agência Idaron, Julio Cesar Rocha Peres afirma que, a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado – Idaron mantém certificação de quase todo leite produzido em Rondônia.
O presidente da Agência Idaron, Julio Cesar Rocha Peres afirma que, a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado – Idaron mantém certificação de quase todo leite produzido em Rondônia.

Fator econômico em pleno desenvolvimento, a produção agropecuária rondoniense já dá sinais de que seguirá repetindo os bons resultados apresentados no último ano.

Na indústria do leite, por exemplo, o valor bruto de produção previsto para 2023 deve superar 1,1 bilhão de reais, firmando Rondônia como o 8° maior produtor de leite do Brasil, e o 1° da região Norte.

 

leite
Imagem Toni Francis e Daiane Mendonça

 

O governador Marcos Rocha destacou o potencial do Estado na produção leiteira. “Rondônia é uma potência leiteira e tem regiões onde a produção é bem definida e explorada, com resultados altamente positivos.

Entre os destaques estão os municípios de Jaru, com produção diária de 82,8 mil litros de leite, Ouro Preto do Oeste, com 80,8 mil litros, Machadinho d’Oeste, com 75,8 mil litros, Porto Velho, com 75 mil litros e Nova Mamoré, com 69,8 mil litros do produto”.

O presidente da Agência Idaron, Julio Cesar Rocha Peres afirma que, a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado – Idaron mantém certificação de quase todo leite produzido em Rondônia.

“Contando com a mão de obra de profissionais especializados, a Idaron é responsável pela certificação da qualidade do leite, e de outros produtos lácteos como o queijo, o iogurte e a manteiga.

Só no ano passado, nos laticínios cadastrados na Idaron, os técnicos da Agência realizaram 264 inspeções na agroindústria leiteira”, explicou.

O controle de qualidade do leite e seus derivados abrangem, desde a defesa sanitária do rebanho às condições de controle e das análises laboratoriais. “É um trabalho minucioso que, dentre outras ações, avalia o acondicionamento do leite, a conservação e o transporte do produto, bem como das matérias-primas.

Também são verificadas as condições do processamento, da estocagem e expedição, além da situação higiênica das instalações laboratoriais e dos equipamentos”, explicou Júlio Peres. A inspeção e a fiscalização não estão resumidas às etapas de industrialização, podendo utilizar ferramentas que permitam a avaliação dos procedimentos executados ao longo de todo o processo produtivo.

A gerente do Serviço de Inspeção Estadual – SIE e produtos de origem animal, Clariana Lins Lacerda explicou que, as ações da Idaron seguem as normas do Decreto Estadual n° 22.991/2018.

“Todos os estabelecimentos sob o SIE devem implementar Programas de Autocontrole – PAC, que se definem como programas desenvolvidos com procedimentos descritos, implantados, monitorados e verificados pela indústria.

O objetivo é assegurar a inocuidade, a identidade, a qualidade e a integridade dos produtos”, salientou.

Fonte – 010 – SECOM – GOV/RO

Veja também

Os produtores de leite no Brasil enfrentam incertezas com os preços em baixa e as importações. Na análise do secretário-executivo do Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul, Darlan Palharini, a recuperação da cadeia produtiva vai depender da melhoria nos custos de produção.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER