O Blackshirt Feeders, no estado de Nebraska, terá capacidade para 150.000 bovinos, quando concluído e aposta em ‘vaca de leite, bezerro de corte’, o crescente fenômeno do Beef on Dairy (BxD)
O sistema beef-on-dairy foi o que chamou a atenção das partes interessadas em toda a cadeia – confinamentos, laticínios, produtores de alimentos, fornecedores de sementes , empresas de ração e frigoríficos. Beef on dairy
O sistema beef-on-dairy foi o que chamou a atenção das partes interessadas em toda a cadeia – confinamentos, laticínios, produtores de alimentos, fornecedores de sementes , empresas de ração e frigoríficos.

Apesar do menor rebanho bovino dos EUA em 73 anos e da correspondente escassez de gado para engorda, está em construção em Nebraska o maior confinamento de gado ao norte do Rio Grande.

Quando concluído, o Blackshirt Feeders, localizado próximo a Haigler no extremo sudoeste do estado, terá capacidade para 150.000 cabeças de gado, todas em um pátio de concreto que cobre uma milha quadrada inteira (aproximadamente 2,5 km²), acompanhado de um biodigestor.

Projeto é desenvolvido por pecuaristas que montam confinamento para 150.000 bovinos com aposta no ‘Beef on Dairy (BxD).

Os três sócios fundadores do projeto que eles chamam de “Blackshirt Feeders” são: Kee Jim, Calvin Booker e Eric Behlke.

Eles são todos veterinários e gerentes da Feedlot Health Management Services, todos os três cresceram na fazenda e, atualmente, estão ativamente confinamento e criando o gado em suas propriedades pessoais, aguardando e tocando o projeto do maior confinamento de gado da região do estado.

8 razões pelas quais a Beef on  Dairy é o cruzamento perfeito – eDairyNews-BR

Essa expansão faz sentido considerando o histórico dos principais envolvidos e a crescente popularidade do modelo de produção ‘beef on dairy’ (BxD), ou em tradução literal: produção de carne em leite, que tem atraído a atenção de todos na cadeia produtiva — de confinamentos a laticínios, passando por criadores de animais, fornecedores de sementes, empresas de ração e frigoríficos, apontou matéria da Drovers.

Em resumo, o segmento BxD tem se mostrado uma nova oportunidade de lucro para os produtores e confinadores de gado e fornecedores de sêmen, além de ser uma tábua de salvação para alguns laticínios, prometendo revolucionar a forma como a indústria da carne aceita, captura e utiliza a identificação animal e os dados fornecidos.

O sistema beef on dairy foi o que chamou a atenção das partes interessadas em toda a cadeia – confinamentos, laticínios, produtores de alimentos, fornecedores de sementes , empresas de ração e frigoríficos.

 

image-86
(Lindsey Pound)

Modelo de produção integrado na pecuária de corte

modelo de produção BxD oferece uma oportunidade única para os produtores utilizarem todas as ferramentas e práticas de gestão disponíveis para promover melhorias. Especificamente, este novo modelo conecta o fornecedor de sêmen ao laticínio e ao confinamento em um sistema denominado de circuito fechado, ou produção integrada. Modelo esse que já é comum e muito utilizado na produção de aves e suínos.

Há muito tempo sonhamos com esse tipo de sistema”, diz Lee Leachman, CEO da Leachman Cattle, agora parte do grupo de empresas URUS. “Nós fornecemos o sêmen, e a Alta ou a Genex distribui para um laticínio, que então assina um contrato com a GK Jim Farms para vender esses bezerros, seja como recém-nascidos ou após um período de crescimento, e então eles são enviados para o confinamento para terminação.”

Pecuaristas montam confinamento para 150.000 bovinos
Pecuaristas montam confinamento para 150.000 bovinos. Linha do tempo para as fases de implementação de cada etapa. Fonte: Drovers

Os contratos estipulam que cada bezerro seja rastreado desde o nascimento com dados de paternidade, saúde e desempenho. Essas informações são utilizadas para determinar os futuros acasalamentos para melhorar o desempenho e reduzir características indesejáveis na cadeia de produção da carne bovina.

“Isso é um divisor de águas”, enfatiza Leachman. “Isso possibilita progressos como os que vimos na indústria de aves e suínos. Se você não tem o circuito com os dados, você não consegue fazer progresso.”

“Isso possibilita progressos como os que vimos na indústria de aves e suínos. Se você não tem o circuito com os dados, você não consegue fazer progresso”, enfatiza Leachman

O sistema de circuito fechado já está operacional em vários confinamentos nos EUA, incluindo cinco operados pela GK Jim Farms no Colorado e no Texas.

veterinário Kee Jim, principal na GK Jim Farms, diz que à medida que sua empresa começou a expandir seu modelo de carne em leite, procuraram adquirir confinamentos, mas nenhum estava disponível na escala desejada.

“Há três anos começamos a investigar qual seria o melhor local para construir um novo confinamento”, diz Jim. “Consideramos a disponibilidade de grãos, o clima, a proximidade com o gado disponível para engorda e a proximidade com os frigoríficos.”

Isso levou à seleção do local de construção perto de Haigler, Neb., no canto sudoeste do estado que faz fronteira com Kansas e Colorado.

Pecuaristas montam confinamento para 150.000 bovinos
Pecuaristas montam confinamento para 150.000 bovinos. Foto: SETTJE AGRI-SERVICES & ENGINEERING

O confinamento mais ecologicamente correto do planeta

Projetado para ser muito mais do que apenas um confinamento em larga escala, o Blackshirt Feeders possui várias características únicas que o tornarão “o confinamento mais ecologicamente correto do planeta”. É assim que é descrito pelo veterinário Eric Behlke, que é tanto um sócio fundador do Blackshirt Feeders quanto o líder do projeto de sua construção.

Uma das principais características novas do pátio é o concreto comprimido rolado que cobrirá cada curral de alimentação. O concreto oferece várias vantagens, mas é essencial para a captura do esterco para o biodigestor que será construído adjacente ao local.

“O concreto permite a coleta do esterco sem contaminá-lo com terra, o que é essencial para um biodigestor”, diz Behlke.

“Mas o concreto é impermeável, o que proporciona proteção superior tanto para as águas subterrâneas quanto para as superficiais. Todos os lagos serão revestidos com um liner de HDPE de alta densidade, um liner sintético que também é impermeável, para evitar a lixiviação de nutrientes.”

Behlke diz que o Blackshirt Feeders está comprometido em aproveitar as tecnologias mais recentes e a construção de confinamentos para tornar o novo pátio o mais ecologicamente correto possível.

“Esses esforços ajudarão a mudar a narrativa sobre a produção de carne e torná-la um processo muito mais verde”, diz Behlke. Tudo isso soa bem, mas, como na maioria das agroindústrias hoje, encontrar mão de obra é provavelmente um problema, especialmente em uma área remota.
A empresa já está trabalhando para facilitar esse problema, diz Jim. “Temos planos de construir moradias em Wray, Colo., a cerca de 32 km de distância”, diz Jim. “As primeiras 24 unidades estão em construção agora.”
svg%3E

Dados e Escalas no Blackshirt Feeders

Pode ser fácil para os observadores se concentrarem no tamanho massivo do Blackshirt Feeders, mas é muito mais do que um esforço de um grande player para capitalizar ainda mais nas eficiências de escala, embora isso seja importante.

“O que torna nosso sistema único é que nossos grandes e contínuos investimentos em coleta e análise de dados são o que nos permitiram escalar nosso negócio”, diz Holt Tripp, DVM, MBA, diretor de operações de gado para o Grupo de Empresas GK Jim.

Tripp diz que a empresa utilizou ensaios de campo rigorosos e em larga escala para entender melhor a biologia dos animais que estão alimentando. “Por sua vez, conseguimos fazer progressos incrementais consistentes que nos permitem fazer apostas calculadas sobre como, quando e onde implantar capital de risco em nosso sistema”, diz ele.

“Não estamos usando dados para descrever um sistema que já alcançou escala — estamos usando dados para chegar à escala. Em nossa mente, qualquer outra coisa seria colocar a carroça na frente dos bois.”

Pecuaristas montam confinamento para 150.000 bovinos

É irônico que um subproduto [bezerro] da indústria de laticínios possa ser o catalisador que poderia levar a indústria da carne a expandir o uso de identificação animal e captura de dados.

“Acho que eventualmente esses bezerros (de carne em leite) podem ser melhores do que os animais médios de corte em carne”, diz Leachman. “Inseminar artificialmente milhões de vacas leiteiras é uma grande vantagem.

Conseguimos tanta pressão de seleção. Se não tivermos um ciclo de retorno de dados sobre bezerros de corte em carne, então será mais difícil acompanhar. Se não tivermos retorno de dados, não poderemos progredir tão rapidamente nas características mais importantes. Ter ID e feedback sobre características economicamente relevantes é crucial.

O sistema de circuito fechado eventualmente encontrará seu caminho no segmento nativo de corte em carne. “Os confinadores de gado provavelmente quererão adotar esse tipo de modelo cada vez mais”, diz Nevil Speer, consultor do setor baseado em Bowling Green, Ky. “Saber mais sobre o gado de engorda que compram e, posteriormente, também fornecer feedback (e incentivos de pagamento) com base no desempenho do gado (tanto no confinamento quanto no pasto).”

Os dados, claro, são o principal motor. “Há cada vez mais oportunidades para os produtores de carne que estão dispostos a participar de uma cadeia de suprimentos especificada”, explica Speer. “Isso significa abrir mão de alguma independência e requer mais responsabilidade, mas, no final das contas, a disposição para fazer isso também provavelmente estabelecerá novas oportunidades para maximizar o valor dos insumos genéticos e de gestão feitos na fazenda.”

 

 

https://whatsapp.com/channel/0029VaPv8js11ulUrj2kIX3I
Você já recebe todas as notícias do setor de laticínios em seu WhatsApp? Não fique à fora!

Veja também

Conheça As Variedades E Benefícios Para A Saúde E O Bem-Estar dos queijos.

Você pode estar interessado em

Notas
Relacionadas

Mais Lidos

1.

2.

3.

4.

5.

Destaques

Súmate a

Siga-nos

ASSINE NOSSO NEWSLETTER